Notícias | Dia a dia
Medvedev afirma que 99% defendem Pella e Dellien
22/08/2020 às 11h38

Nova York (EUA) - Antes mesmo de começar o Masters 1000 de Cincinnati veio a primeira polêmica, envolvendo a exclusão do argentino Guido Pella da chave principal e do boliviano Hugo Dellien do quali, pois o preparador físico de ambos testou positivo para o coronavírus. O sérvio Novak Djokovic tentou fazer um abaixo-assinado pare que eles pudessem voltar, mas não teve sucesso. Atual campeão do torneio, o russo Daniil Medvedev contou que a maioria dos jogadores foi favorável à permanência de ambos.

“Pensamos que o preparador físico do Guido e do Hugo deveria ter sido examinado uma segunda vez, o que não foi feito, pois existe a possibilidade de um teste falhar. Por outro lado, nenhum dos dois jogadores apresentou sintomas. Se isso acontecer em uma rodada como as quartas de final, duvido que a USTA tome a mesma decisão. Dizem que os dois jogadores tiveram contato próximo, mas não conseguem nem mostrar, não há câmeras para mostrar”, declarou o russo.

+ Pella e Dellien ainda têm chance de disputar o US Open
+ Após preparador testar positivo, Pella e Dellien são isolados

“Se ambos os jogadores tiveram teste negativo três vezes, acho que deveriam jogar, isso é o que pensam 99% dos jogadores”, completou o atual número 5 do mundo, que acredita na possibilidade de resultados interessantes, algumas surpresas e partidas muito emocionantes nesse retorno do circuito.

Medvedev também comemorou a volta às competições, uma vez que não participou de exibições durante a pausa. "Não estava preparado mentalmente. Claro que me pediram para participar de algumas, mas não me senti com a energia competitiva, achei que ainda não estava tudo pronto para disputar uma partida. Não queria começar a jogar quando ainda não me via pronto”, contou o russo, que nesses seis meses não viajou para nenhum outro lugar e ficou em casa em Mônaco.

“Estava junto com meu treinador e tentamos fazer o melhor cronograma possível, pois nunca sabíamos quando o tênis voltaria. Quando o Indian Wells foi cancelado, todos pensaram que seria possível voltar em Barcelona, Madrid ou Roma, então comecei a treinar bastante forte, até que nos disseram que o intervalo iria durar muito mais do que o esperado. Daí em diante, tentei apenas ficar em forma. Tirei um tempo de folga e depois voltei a treinar”, encerrou o tenista de 24 anos.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva