Notícias | Dia a dia
Courier lamenta, mas defende a ausência de Nadal
20/08/2020 às 15h06

Embed from Getty Images

Nova York (EUA) - Maior desfalque na edição deste ano do US Open, o espanhol Rafael Nadal resolveu não defender o título conquistado em 2019, alegando que a situação do coronavírus no mundo e o calendário apertado da ATP o fizeram preferir não viajar para os Estados Unidos e ficar se preparando na Europa para os torneios de saibro.

Dono de quatro títulos de Grand Slam, o norte-americano Jim Courier defendeu a escolha do canhoto de Mallorca e disse ser compreensível seu foco no saibro, principalmente na tentativa de conquistar Roland Garros pela 13ª vez na carreira.

"Olha, adoraríamos vê-lo aqui, não vou ser diplomático sobre isso, até porque ele é o atual campeão do torneio. Mas é compreensível, visto que eles tiveram que comprimir a temporada e colocar Roland Garros apenas algumas semanas após esta série com Cincinnati e US Open", afirmou Courier em entrevista ao Mad Dog Radio.

+ Panatta: 'Ir ao US Open é loucura, Nadal fez o certo'
+ US Open será 1º Slam sem Federer e Nadal no século
+ Toni Nadal: 'Não fiquei surpreso com decisão de Rafa'

“Com um jogador que tem histórico de problemas físicos e dificuldades após jogar em quadras duras, acho que é muito fácil se colocar no lugar dele perceber que está buscando seu 13º título de Roland Garros. Por isso quer dar a si mesmo a melhor chance de alcançar tal conquista”, acrescentou o norte-americano.

Para Courier, a questão do vírus foi menos importante na decisão de Nadal do que o calendário apertado, com apenas duas semanas separando o US Open e Roland Garros. "Não acho que sua preocupação seja principalmente relacionada ao vírus, mas sim à sua capacidade física de suportar os rigores deste reinício, sem ter jogado um torneio desde fevereiro”, analisou.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva