Notícias | Dia a dia
Serena diz que poderia jogar melhor e destaca algoz
15/08/2020 às 11h50

Embed from Getty Images

Lexington (EUA) - Superada nas quartas de final do WTA de Lexington, Serena Williams tenta elencar alguns pontos positivos da derrota para a 116ª do ranking Shelby Rogers. A atual número 9 do mundo, que já havia dito que iria priorizar ritmo de jogo aos resultados nesta semana, reconheceu os erros que cometeu na partida e acredita que poderia jogar melhor.

"Só tenho coisas boas para tirar da partida", disse Serena, após a derrota por 1/6, 6/4 e 7/6 (7-5) para Rogers na última sexta-feira. "Eu poderia jogar muito melhor, isso é a coisa mais importante desse jogo. É bom saber que posso jogar melhor. Tive a oportunidade de, possivelmente, vencer em sets diretos, mas meio que tornei o jogo mais difícil para mim mesma ao cometer muitos erros não forçados".

Serena não teve break points nem no segundo e nem no terceiro set e creditou o fato ao bom desempenho no saque de sua adversária, que soube se adaptar melhor às condições da quadra. "Foi muito difícil ler o saque dela no terceiro set. Nessa quadra, o quique da bola é mais alto do que o normal. E ela se aproveitou disso".

A derrota da última sexta-feira derrubou duas marcas já bastante longevas de Serena Williams. A ex-número 1 do mundo não sofria uma virada desde março de 2016, em Miami, diante da russa Svetlana Kuznetsova. Ela também não perdia para uma adversária de fora do top 100 desde 2012, quando caiu na primeira rodada de Roland Garros para a francesa Virginie Razzano, então 111ª colocada.

Algoz de Serena, Rogers está com 27 anos e aos poucos vai retomando a rotina no circuito depois de uma grave lesão que poderia ter abreviado sua carreira profissional. Ela chegou às quartas de final de Roland Garros em 2016 e ao 48º lugar do ranking, mas ficou mais um ano sem jogar por lesão e cirurgia no joelho. Rogers tem dois títulos de WTA e busca sua quarta final. A norte-americana encara a suíça Jil Teichmann neste sábado.

Serena agora segue para Nova York, onde disputará dois torneios. O Premier de Cincinnati foi excepcionalmente transferido para lá e começa no dia 22 de agosto. Já a partir do dia 31, tem início o US Open, onde a norte-americana terá a oportunidade de buscar o tão sonhado 24º título de Grand Slam.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva