Notícias | Dia a dia
Governo italiano isenta atletas de quarentena
10/08/2020 às 18h45

Roma (Itália) - O governo italiano vai permitir que atletas profissionais e seus acompanhantes possam entrar no país para a disputa de competições esportivas internacionais. A medida se aplica até mesmo para jogadores vindos de países cuja entrada na Itália era anteriormente proibida ou exigia quarentena. O decreto foi publicado na edição de sábado do Diário Oficial do país e pode beneficiar eventos como o Masters 1000 e o WTA Premier de Roma e, consequentemente, o US Open.

Segundo o decreto, a entrada de atletas, integrantes de suas equipes e acompanhantes é permitida e sem exigência de quarentena, mediante a realização de exames para Covid-19. Esses teste precisam ser feitos 48 horas da chegada à Itália e os interessados devem estar na posse do termo que atesta o resultado negativo para entrar no país.

+ Sem Madri, ATP propõe aumentar a chave de Roma
+ Top 20 podem boicotar US Open devido à quarentena
+ Aberto de Roma será disputado sem torcida

A partir do momento em que o atleta e demais integrantes da delegação puderem entrar no país, eles ficam autorizados a participar competição desportiva internacional em território italiano, de acordo com o protocolo específico aprovado pela organização desportiva promotora do evento.

Medida pode ajudar Roma e US Open
A medida pode beneficiar um importante evento no calendário do tênis, que é o Aberto de Roma, previsto para começar em 20 de setembro. A primeira rodada na capital italiana acontece apenas sete dias depois da final do US Open. Até por isso, há uma indefinição no calendário de muitos tenistas sobre uma eventual quarentena na volta à Europa, o que pode causar uma série de desistências do Grand Slam americano.

A organização do Aberto de Roma, que reúne chaves masculinas e femininas, ainda não se pronunciou sobre a possível não-exigência da quarentena para os tenistas. Os promotores do torneio estão negociando com a ATP para aumentar o número de jogadores da chave masculina, de 64 para 96 tenistas. Isso porque o Masters 1000 de Madri, que aconteceria na semana anterior, foi cancelado. A princípio, o torneio feminino da WTA não teria alteração no número de jogadoras.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva