Notícias | Dia a dia
Orlandinho diz que indefinições prejudicam a volta
07/08/2020 às 08h30
Felipe Priante

São Paulo (SP) - Embora o retorno do circuito vá tomando cada vez mais corpo, não apenas com os torneios de primeira linha sendo garantidos, mas também com eventos menores confirmados no calendário, ainda há muitas indefinições que preocupam os tenistas. Para o gaúcho Orlando Luz, uma das principais preocupações é a questão sobre as viagens para fora do Brasil.

“Eu ainda não tenho calendário feito, até porque os brasileiros estão impedidos de entrar na Europa e nos Estados Unidos. Essas restrições a gente não pode fazer nada, não está sob nosso controle e só nos resta esperar”, afirmou o gaúcho de 22 anos e atual 301 do mundo em entrevista para TenisBrasil.

“No momento só estou focado em treinar e ficar pronto para quando a oportunidade aparecer, de poder voltar a jogar os torneios, eu estar no melhor nível possível, o que é difícil sem estar competindo. O ritmo de jogo com os torneios é bem diferente do que só no treino. Estou me preparando do jeito que dá e assim estar o mais perto do 100% quando voltar a competir.”, completou.

Orlandinho destaca também que a dificuldade em conseguir viajar além de ser um obstáculo pode se transformar em desvantagem. “O que complica bastante é que os europeus e os norte-americanos estarão jogando e nós não, seremos obviamente prejudicados por essa situação. Saiu a notícia que a ATP vai segurar o ranking por 22 meses, então falam que não vamos perder os pontos e isso é verdade”, argumentou o tenista.

“Mas aqueles que estiverem jogando também não e além disso poderão somar mais. Mesmo que você defenda seus pontos sem jogar, pode ser ultrapassado por quem está jogando. Estou 301 no momento e as pessoas podem ir me passando, de repente posso ir para 310, 320 e caindo sem poder jogar. É um pouco injusto, mas não tem o que fazer”, encerrou o jovem gaúcho.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva