Notícias | Dia a dia
Masters de Madri pode sofrer novo cancelamento
31/07/2020 às 18h21

Evento já foi transferido de maio para setembro, mas volta a correr riscos

Foto: Arquivo

Madri (Espanha) - O Aberto de Madri, que reúne um Masters 1000 da ATP e um Premier Mandatory da WTA, pode não acontecer este ano. Inicialmente marcado para o mês de maio, o torneio em quadras de saibro na capital espanhola foi adiado para ocorrer entre 13 e 20 de setembro. No entanto, as autoridades locais recomendam o cancelamento da competição, por conta do risco de transmissão do coronavírus.

Segundo o jornal espanhol El Confidencial, a Comunidade de Madrid enviou uma carta ao diretor do torneio, Feliciano López, desencorajando a realização do evento devido ao "risco à saúde que isso acarretaria tanto para os atletas, público, e equipe operacional". Lembrando que os organizadores do torneio ainda tentam viabilizar a competição com a presença de torcedores no estádio.

+ López segue confiante que Madri acontecerá com torcida
+ Tenistas se livram de cumprir quarentena em Madri
+ Circuito da ATP volta em agosto e confirma Madri e Roma

Tiriac tenta manter o torneio
Ainda de acordo com a publicação, o empresário Ion Tiriac, dono da promotora que organiza o torneio, contesta o governo local e tenta manter a competição. Por ora, Tiriac diz que não pretende cancelar o evento, mas já considera essa possibilidade.

"A Super Slam Ltd, dona da data de Madri da WTA e da ATP, garantiu o direito de mover o torneio de maio para setembro de 2020", diz Tiriac, por meio de nota oficial. "A empresa, assim como a ATP e a WTA, consideram a saúde e a segurança de jogadores, espectadores e staff como prioridade número 1. Vamos cumprir todas as regras definidas pelas autoridades locais de saúde".

"Diante de um recente aumento no número de casos de Covid-19 na cidade de Madri, o Ministério da Saúde Pública da Comunidade de Madri recomendou ao diretor do torneio Feliciano López não realizar a competição em setembro de 2020, por riscos à saúde. Vamos trabalhar em conjunto para garantir a maneira mais segura de organizar o torneio", acrescentou o excecutivo.

"Conforme estivermos mais próximos do prazo, tomaremos uma decisão de acordo com o possível impacto de novas medidas de segurança. Por essa razão, estamos trabalhando com a ATP, com a WTA e com as autoridades locais a fim de resolver essa situação o mais rápido possível".

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva