Notícias | Dia a dia
Sem China, circuito da WTA perde US$ 30 milhões
24/07/2020 às 09h39

Título de Barty no Finals do ano passado rendeu o maior prêmio da história do tênis profissional

Foto: Arquivo

Miami (EUA) - O cancelamento dos sete torneios que estavam previstos para a China, incluindo o WTA Finals de Shenzhen, afetou ainda mais o calendário do tênis feminino, especialmente no trecho final da temporada. Apenas quatro torneios estão previstos para depois de Roland Garros. Além disso, o impacto financeiro para o circuito é enorme. Um levantamento do New York Times aponta que os torneios chineses distribuem mais de US$ 30 milhões em premiação.

Quase a metade desses prêmios estavam no Finals de Shenzhen, que distribuiu US$ 14 milhões na edição do ano passado. Campeã em 2019, a número 1 do mundo Ashleigh Barty recebeu US$ 4,42 milhões, o que representa o maior prêmio de um torneio na história do tênis profissional entre homens e mulheres.

+ WTA oficializa cancelamentos de torneios chineses
+ ATP também cancela todos os seus torneios na China
+ 'Normalidade só em 2022', diz presidente da WTA

A cidade chinesa de Shenzhen investiu mais de US$ 1 bilhão para receber dez edições seguidas do Finals. Para Steve Simon, presidente da WTA, é pouco provável que o torneio mude de sede este ano.

"É obviamente difícil mover um evento dessa estatura", disse ao New York Times. "Não vamos descartar nada e estamos analisando planos alternativos. Obviamente, temos que garantir a manutenção da integridade do Finals e o que esse evento representa. Com a perda de todos esses eventos, não tenho certeza se realmente temos uma corrida completa para Shenzhen".

Só quatro torneios depois de Roland Garros
A WTA tenta encontrar datas para os torneios de Tóquio, Seul, Moscou e Linz. Os eventos na Rússia e no Japão são de nível Premier e dão 470 pontos às campeãs, enquanto os outros dois torneios são do nível International, com 280 pontos no ranking às vencedoras.

A temporada do circuito feminino será retomada no dia 3 de agosto em Palermo, na Itália, em quadras de saibro. Dois torneios acontecem na semana seguinte. Algumas jogadoras vão permanecer no saibro europeu e jogar em Praga, enquanto outras já partem para os Estados Unidos e atuam em Lexington.

O tradicional Premier de Cincinnati foi excepcionalmente transferido para Nova York e começará no dia 21 de agosto. O US Open começa dez dias depois. A temporada de saibro prevê os fortes torneios de Madri e Roma, além de eventos em Istambul e Estrasburgo. Já a chave principal de Roland Garros tem início em 28 de setembro e vai até 11 de outubro.

Veja como está o calendário da WTA.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva