Notícias | Dia a dia
Federer afirma que ainda tem coisas a fazer no tênis
09/07/2020 às 12h36

Basileia (Suíça) - Se a aposentadoria do suíço Roger Federer foi o assunto principal nos últimos dias, o tenista da Basileia agora mostrou que embora saiba que o fim está cada vez mais próximo, também ainda tem gana de seguir competindo por algum tempo. Em entrevista ao podcast The Business of Fashion, ele deixou claro ter vigor para seguir firme no circuito.

“Acho que ainda tenho coisas a fazer. Este ano farei 39 anos e 40 no ano que vem, é uma loucura pensar que estou viajando pelo circuito há mais de 23 anos. Tudo aconteceu muito rapidamente, me diverti muito e parece que faz apenas cinco anos que saí do juvenil. Sou grato por continuar com minha paixão de poder seguir jogando”, declarou o atual número 4 do mundo.

+ Federer reforça que aposentadoria está mais próxima
+ 'Considerei se realmente queria continuar', revela o suíço
+ Federer diz que Jogos de Tóquio são grande objetivo

Federer está ansioso pelo retorno e não medirá esforços para voltar em grande nível. “Meu treinador físico, Paganini, me programou um bloco de treinamento por 20 semanas e me perguntou se eu queria mesmo fazer isso. Disse que sim, é claro. Gostaria de descobrir o que mais há para mim no tênis, espero poder ter um bom 2021 e a partir daí, veremos”, observou o suíço.

“Venho trabalhando na reabilitação e meu objetivo é poder estar 100% até dezembro ou janeiro, para competir a temporada inteira em 2021. Não acredito nas finais dos sonhos porque é muito fácil estar errado. Se eu quisesse parar assim, teria me aposentado depois de derrotar Nadal em cinco sets na Austrália em 2017”, complementou o veterano da Basileia.

Apesar da idade, Federer garante que seguirá competindo enquanto a saúde permitir e enquanto os quatro filhos e a esposa continuam felizes e apoiando na busca desse sonho. “Se eu conseguir administrar tudo isso e continuar a competir contra os melhores e lutar pela grandes torneios, honestamente, vou continuar jogando”, encerrou o suíço.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva