Notícias | Dia a dia
Djokovic aprova mudança no cálculo do ranking
08/07/2020 às 15h12

Belgrado (Sérvia) - Líder do ranking mundial e presidente do conselho dos jogadores da ATP, Novak Djokovic aprovou a mudança no cálculo do ranking para o restante da temporada. O modelo apresentado na última segunda-feira pela entidade prevê que os jogadores podem contabilizar os 18 melhores resultados em 22 meses, entre março de 2019 e dezembro de 2020, e não mais os resultados de apenas um ano.

Na prática, o novo cálculo do ranking isenta os jogadores da necessidade de defender pontos. Isso porque os resultados de 2019 podem ser mantidos no ranking de um jogador mesmo que ele faça uma campanha pior ou não dispute o mesmo torneio em 2020.

O próprio Djokovic, por exemplo, vai manter os mil pontos do título do Masters 1000 de Madri, enquanto Rafael Nadal não perde os 4 mil pontos conquistados em Roland Garros e no US Open do ano passado. Até mesmo Roger Federer, que operou o joelho e só volta a jogar no ano que vem, irá se manter entre os primeiros do ranking.

+ Djokovic rebate os críticos e coloca US Open em dúvida
+ Primeiros colocados não precisarão defender pontos
+ ATP mudará cálculo do ranking no restante do ano

"Nós discutimos isso no conselho e essa decisão foi tomada porque nós queríamos proteger os jogadores que não quisessem se colocar em risco e viajar", disse Djokovic, em entrevista ao diário sérvio Sportski Zurnal. "Alguns não vão jogar até o final de 2020 e isso vai protegê-los de perder pontos. Por outro lado, os tenistas que jogarem terão a chance de ganhar novos pontos. Nessa situação, acredito ser a melhor opção".

"Acho que é o mais justo para todo mundo. Sempre pode ter alguém que se sinta prejudicado e dizer que não é justo, mas eu repito, a ATP e o conselho querem proteger aqueles que não querem jogar", acrescentou o jogador de 33 anos, ao destacar que a mudança no ranking dará mais liberdade para os tenistas definirem seus calendários de competições.

O circuito profissional da ATP será retomado no dia 14 de agosto em Washington. Na semana seguinte, tem início o Masters 1000 de Cincinnati, que foi excepcionalmente transferido para Nova York. Já o US Open começa em 31 de agosto. Djokovic ainda não sabe se irá disputar o Grand Slam norte-americano e os demais torneios preparatórios. A segunda metade de setembro será dedicada à temporada de saibro, com os Masters 1000 de Madri e Roma e terminando com Roland Garros. O Slam parisiense começa no dia 28 de setembro.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva