Notícias | Dia a dia
'Não quero comemorar antes', diz o diretor de RG
06/07/2020 às 11h11

Paris (França) - Embora esteja cada vez mais certo que Roland Garros vá acontecer em 2020, com as vendas de ingressos planejadas para começar no dia 9 de julho, a organização não quer cantar vitória antes do tempo. Em entrevista à Reuters, o diretor do Grand Slam francês Guy Forget falou que só poderá comemorar depois que tudo terminar.

“Não quero comemorar antes que o torneio realmente aconteça. Como diretor que sou, só ficarei feliz e calmo no dia em que vir o campeão da chave masculina (última a ser definida) apertar a mão do ouro finalista da rede. Esse será o momento em que todos podemos dizer que fizemos isso juntos”, disse o ex-tenista profissional francês.

+ Roland Garros terá até 60% de público em 2020
+ Forget acredita que tops disputarão Roland Garros
+ Roland Garros iluminará 12 quadras na edição de 2020

Questionado mais uma vez sobre a mudança na data, o francês foi curto e grosso. “Simplesmente pensamos que valia a pena correr esse risco, mesmo que essa mudança deixasse muitas outras pessoas infelizes”, comentou Forget, que também falou ter aproveitado o circuito do sérvio Novak Djokovic para aprender lições.

“Talvez algumas pessoas tiveram muita confiança em fazer o Adria Tour. Felizmente ninguém ficou gravemente doente, mas mesmo alguns casos já custam demais e queremos evitá-los o máximo que pudermos. Ter pessoas doentes seria uma coisa terrível para nós e por isso é preciso muita cautela”, observou o diretor de Roland Garros.

Ele ainda defendeu a realização da competição com torcida. “Voltar a ver futebol hoje em dia na televisão é maravilhoso, mas falta algo sem a torcida. Estamos trabalhando em estreita colaboração com as administrações governamentais para garantir que possamos contar com algum público e seguir rigorosamente todas as medidas de segurança”, encerrou.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva