Notícias | Dia a dia
Soderling confessa ter pensado em suicídio
05/07/2020 às 08h53

Soderling perdeu duas finais em Roland Garros, uma para Federer e outra diante de Nadal

Foto: Arquivo

Estocolmo (Suécia) - Um dos dois únicos jogadores a ter derrotado Rafael Nadal no saibro de Roland Garros, o ex-número 4 do ranking Robin Soderling confessou em entrevista à Rádio da Suécia que pensou em tirar a própria vida antes de ser diagnosticado com mononucleose, doença que acabou por encerrar precocemente sua carreira.

"A ansiedade estava muito grande e eu não me sentia nada bem", contou o duas vezes finalista de Roland Garros. "Estava em casa e não entendia o que estava acontecendo, qualquer ruído me dava pânico. Tudo me gerava muito medo e procurei no Google numerosas formas de me suicidar", revelou, segundo a agência EFE.

"O sucesso que obtive a partir de 2009 gerou também muita pressão. Chegou um momento em que imaginei que só existiam três jogadores capazes de me derrotar. Todos os demais eu tinha de ganhar e, se não conseguia, me sentia fracassado. Caí num buraco que era difícil de sair".

Soderling conta que a depressão o atacou ainda no circuito. "Entrei em pânico e chorava sem parar. Chegava ao hotel, me atirava na cama e não podia parar de chorar. Pensar que no dia seguinte teria de ir à quadra me gerava pânico. Por mais que eu quisesse seguir em frente, essa pressão se apoderava de mim e me impedia de progredir como tenista e como pessoa".

O ex-número 4 do mundo enfatiza que é raro se comentar sobre os problemas psíquicos que vive um atleta de alto rendimento e por isso decidiu contar sua experiência. "Meu conselho é que pratiquem esporte por prazer e não por pressão, treinem duro mas mantenham a calma. Se obtiver êxito, mantenha a perspectiva e não deixe que isso te afete muito. Só assim irá seguir em frente".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva