Notícias | Dia a dia
Medvedev diz que US Open sem torcida seria bizarro
02/07/2020 às 19h41

Russo foi o 'vilão' do último US Open e gostava de provocar a torcida

Foto: Arquivo

Monte Carlo (Mônaco) - Finalista do US Open no ano passado, Daniil Medvedev voltará ao Grand Slam nova-iorquino em um cenário muito diferente do encontrado na última temporada. A próxima edição do torneio, que começa em 31 de agosto, será disputada sem a presença de público nos estádios. Medvedev classifica a situação como "bizarra", mas entende a medida como necessária para o momento.

"Vai ser super estranho. Todos nós já jogamos torneios juvenis ou futures, em que estão apenas você, seu treinador e mais ninguém lá. Mas é diferente, é uma quadra pequena, em um lugar fechado, no meio do nada", disse Medvedev em entrevista ao Eurosport, conduzida pela ex-top 10 Barbara Schett.

"Será diferente quando você for para o Arthur Ashe, que comporta 22 mil pessoas, e só ver dois membros da sua equipe. Acho que a coisa mais bizarra será jogar na sessão noturna, na verdade", acrescentou o atual número 5 do mundo, que foi superado por Rafael Nadal na final do ano passado em Nova York.

Na temporada passada, Medvedev encarnou a figura de vilão do torneio. Isso começou na partida contra Feliciano Lopez pela terceira rodada, depois de uma discussão ríspida com um boleiro e com o árbitro Damien Dumusois, e continuou no duelo contra Dominik Koepfer nas oitavas. Mesmo com vaias e um ambiente hostil, ele manteve a boa fase no torneio e provocava a torcida após as vitórias. O russo chegou a ser multado em US$ 9 mil.

Mas, apesar da estranheza com o cenário, o russo quer logo retomar uma rotina de competições. "Quero voltar à quadra o mais rápido possível e jogar os torneios. Os primeiros serão sem espectadores, mas teremos fãs de todo o mundo na frente da TV, como o futebol fez".

Em meio aos recentes casos de tenistas profissionais diagnosticados com a Covid-19, Medvedev ainda tem algumas dúvidas sobre o futuro da competição. "Não dá para saber ainda o que vai acontecer em Nova York durante o torneio e, como você deve ter visto, alguns jogadores são contra regras muito estritas", afirmou o russo de 24 anos. "Ao mesmo tempo, se você não tem regras estritas, há uma grande chance de sermos infectados".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva