Notícias | Dia a dia
Para Murray, novo calendário da ATP não é seguro
28/06/2020 às 09h50

Para o britânico, sequência de torneios grandes apresenta risco de lesões

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - O restabelecimento da temporada da ATP no segundo semestre pode apresentar riscos aos jogadores, na opinião de Andy Murray. O ex-número 1 do mundo destacou que o calendário apertado e com muitos torneios importantes seguidos pode causar um grande número de lesões. Murray acredita também que alguns dos principais jogadores do mundo terão que pular alguns torneios.

"Não é seguro para os jogadores disputar uma semifinal ou final em Nova York e, logo depois, jogar em Madri no saibro e com altitude, depois de tanto tempo sem jogar", disse Murray em entrevista coletiva no último sábado. "É possível que muitos dos melhores jogadores do mundo não possam competir nesses grandes torneios".

O britânico cita a si mesmo como exemplo. Ele considera jogar o ATP 500 de Washington, a partir de 14 de agosto, e depois já pensar no US Open. Para isso, não disputaria o Masters 1000 de Cincinnati, que excepcionalmente acontecerá em Nova York. "Prefiro jogar em Washington e perder o evento da semana anterior ao US Open se o calendário for mantido".

Desempenho animador em Londres
Murray disputou quatro jogos pela série exibições 'Batalha dos Britânicos' na última semana e encerrou sua participação com duas vitórias e duas derrotas. O atual 129º do ranking comentou seu desempenho na semifinal do último sábado, quando fez uma boa partida, mas foi superado pelo número 28 do mundo Daniel Evans com parciais de 1/6, 6/3 e 10-8.

"Acho que comecei bem a partida mas, como em todos os meus jogos desta semana, meu nível caiu um pouco depois disso", avaliou o jogador de 33 anos, que ficou sete meses parado, por conta de uma pubalgia. "Eu simplesmente não fui capaz de manter um nível alto por tempo suficiente. Meu jogo está aí. Só preciso de mais tempo para treinar e me preparar".

"Foi um grande avanço nesta semana em relação ao que vinha fazendo. Fisicamente, eu lidei com isso relativamente bem, porque estava me movimentando melhor a cada partida e estava um pouco mais confiante. Foi uma semana positiva", complementou o vencedor de três Grand Slam.

O técnico Jamie Delgado também comemorou o desempenho de Murray, especialmente no primeiro set da semifinal. "Ele jogou um set fantástico de tênis. Fazia tempo que eu não o via jogar tão bem", disse durante a transmissão da partida. "Ele teve alguns lampejos durante a semana, mas o nível caiu algumas vezes. Este foi o set mais consistente que ele jogou nesse nível há um bom tempo".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva