Notícias | Dia a dia
US Open volta atrás e terá torneio para cadeirantes
24/06/2020 às 16h00

O australiano Dylan Alcott foi um dos líderes do movimento para que o torneio fosse mantido

Foto: Arquivo

Nova York (EUA) - A organização do US Open voltou atrás e irá promover torneios de tênis em cadeira de rodas na edição de 2020 do Grand Slam norte-americano. Os jogos irão acontecer entre os dias 10 e 13 de setembro no Billie Jean King National Tennis Center.

A inclusão dos eventos para cadeirantes no US Open é uma vitória para os atletas da modalidade, que haviam criticado a direção do torneio, por não serem consultados pelos dirigentes sobre a decisão de não realizar os eventos este ano.

+ Após críticas, US Open avalia situação dos cadeirantes
+ Tenistas cadeirantes criticam organização do US Open
+ US Open não terá quali e chave de duplas será menor

A competição não constava nos planos da direção do torneio, que diminuiu o número de eventos na edição deste ano. Foram canceladas as disputas do qualificatório, das duplas mistas e do torneio juvenil. Já as chaves de duplas masculinas e femininas terão o número de participantes reduzido.

A decisão foi tomada após várias reuniões virtuais com um grupo de atletas do tênis em cadeira de rodas e com a Federação Internacional de Tênis (ITF). O torneio terá chaves de simples e duplas, masculinas e femininas. Também terá chaves de simples e duplas na modalidade Quad, destinada aos atletas com deficiência em três ou mais membros e onde homens e mulheres podem competir juntos.

Os atletas em cadeira de rodas seguirão os mesmos procedimentos de saúde e segurança que todos os outros jogadores participantes do US Open e poderão acessar o Billie Jean King National Tennis Center a partir de 7 de setembro. Nas primeiras conversas com os jogadores, ocorridas na semana passada, havia a chance de levar o torneio para outro clube, mas a hipótese foi descartada.

Segundo o comunicado oficial dos organizadores, ainda não há uma definição se os torneios deste ano vão contar pontos para o ranking mundial da ITF. A Federação Internacional irá avaliar a situação antes de anunciar a medida nos próximos dias.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva