Notícias | Dia a dia
Para Murray, evento de Djoko afeta imagem do tênis
23/06/2020 às 14h20

Londres (Inglaterra) - Em meio à repercussão negativa da Adria Tour, evento promovido por Novak Djokovic e que teve quatro tenistas contaminados pelo coronavírus (entre eles, o próprio Djokovic), até mesmo um dos melhores amigos do sérvio criticou a postura do número 1 do mundo. Andy Murray avaliou que os casos afetam negativamente a imagem do tênis.

Entre os jogadores, além do líder do ranking, Grigor Dimitrov, Borna Coric e Viktor Troicki foram diagnosticados com a Covid-19. As esposas de Djokovic e Troicki, Jelena e Alexandra, o técnico Christian Groh e o preparador físico Marko Paniki também contraíram a doença.

Nos últimos dois finais de semana, Djokovic promoveu torneios amistosos na Sérvia e na Croácia e os eventos foram marcados por polêmicas. Isso porque as partidas aconteceram com público nos estádios e os jogadores participaram de uma série de atividades promocionais extra-quadra, como festas, jantares, clínicas com crianças, jogos de futebol e basquete. Foram poucos os protocolos de distanciamento e comum ver pessoas circulando sem máscara nas arquibancadas. As etapas previstas para Montenegro e Bósnia e Herzegovina foram canceladas.

"Eu sempre tive um bom relacionamento com o Novak", disse Murray, durante entrevista coletiva na última segunda-feira, em Londres. "Mas a respeito do que aconteceu lá, não traz uma boa imagem. Quando você está passando por um momento como esse, é importante que os principais atletas do mundo mostrem que estamos levando isso muito a sério e usando as medidas de distanciamento social ou o que quer que seja".

O ex-número 1 do mundo destaca que países como a Sérvia e Croácia tiveram um bom controle no número de casos, mas que isso pode mudar se não forem adotadas as devidas medidas de segurança. "Felizmente, não há um grande surto por lá, porque meu entendimento é que a Sérvia e a Croácia estavam lidando com isso muito bem. Mas, quando você começa a ter aglomerações com pessoas de vários países é uma receita para começar. Fica uma lição para todos nós, se ainda não tínhamos entendido, de que devemos levar isso a sério e adotar o máximo de medidas de segurança possíveis".

+ Mil pessoas testadas em Zadar com 4 casos positivos
+ Troicki e esposa também são infectados pelo vírus
+ Para Bruno Soares, Djokovic protagonizou 'show de horror'

Afastado das quadras há sete meses, por conta de uma pubalgia, Murray volta às quadras nesta terça-feira. Ele disputa uma série de exibições em Londres, com rígido protocolo de segurança e sem a presença de público. "Quando estou recebendo tratamento do fisioterapeuta, usamos máscaras e outras coisas para reduzir o risco o máximo possível. Acho que isso também aconteceu um pouco no golfe: alguns jogadores desrespeitam as regras e não é positivo para a imagem o esporte quando algo assim acontece".

O vencedor de três Grand Slam também alerta para um eventual aumento no período de suspensão do circuito. As competições oficiais estão paralisadas desde março e o circuito da ATP será retomado a partir de 14 de agosto, em Washington. "Espero que aprendamos com isso. O circuito não vai voltar se estivermos tendo problemas toda semana e os jogadores estiverem fazendo o que querem. Precisamos garantir que todos estamos fazendo a coisa certa".

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva