Notícias | Dia a dia
Há dois anos, o Brasil perdia Maria Esther Bueno
08/06/2020 às 16h32

São Paulo (SP) - Há dois anos o Brasil perdia a maior atleta de sua história e, consequentemente, a maior campeã do tênis nacional. Maria Esther Bueno faleceu no dia 8 de junho de 2018, aos 78 anos, vitimada por um câncer linfático. Em sua espetacular carreira, disputou finais em todos os eventos de Grand Slam, com três títulos em Wimbledon e quatro nos Estados Unidos. Além dos sete títulos, possui outros cinco vice-campeonatos.

Nas duplas, Estherzinha acumula onze conquistas, sendo cinco em Wimbledon, quatro no US Open, uma em Roland Garros e mais uma na Austrália. Ela também tem um título de duplas mistas, conquistado no saibro de Roland Garros, totalizando 19 títulos de Grand Slam em sua carreira. Em 1960, ainda aos 19 anos, foi a primeira mulher a ganhar todos os eventos de Grand Slam de duplas numa única temporada.

Maria Esther começou sua carreira internacional em 1957 e viveu um grande ápice até 1968. Foram 120 finais de simples, com 65 títulos, e outras 137 de duplas, com 90 vitórias, que se somados aos 15 troféus de duplas mistas totalizam incríveis 170 conquistas. As seguidas lesões no braço direito a forçaram a uma longa parada em que ficou sete temporadas inteiras sem poder jogar os Slam.

Depois de várias cirurgias, conseguiu retornar às quadras em 1974. Ela chegou às oitavas de final em Wimbledon em 1976 e se aposentou definitivamente na temporada seguinte. Já nos últimos anos, trabalhava como comentarista do canal por assinatura SporTV.

A luta de Maria Esther contra o câncer começou em 2017, com um diagnóstico no lábio. Uma cirurgia tirou a lesão, mas o tumor se espalhou pela garganta e foram necessárias sessões de radioterapia. Depois de uma melhora, ela chegou a ter vida normal, tendo inclusive retornado a jogar tênis. Mas após novos exames foi constatado que o mal havia se espalhado para ombro e costas e vinha se tratando com imunoterapia. Ela foi internada e permanecia lúcida até o agravamento do quadro, que se tornou irreversível.

Entre as homenagens póstumas a Maria Esther estão a entrega da Medalha de Honra ao Mérito Desportivo, entregue pela Câmara Municipal de São Paulo. Além disso, a família da tenista inaugurou uma estátua nos gramados da Sociedade Harmonia de Tênis, clube em a adotou desde suas grandes conquistas. Seu início no tênis, entretanto, fio no clube Tietê, na zona Norte da capital paulista.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva