Notícias | Outros
Morte de Floyd fez Blake relembrar prisão em NY
03/06/2020 às 15h22

San Diego (EUA) – O ex-tenista americano James Blake, na entrevista em sua residência em San Diego, na Califórnia, comentou a morte de George Floyd, asfixiado por um policial em uma abordagem na cidade de Minneapolis, que causou indignação no mundo todo. Blake também sofreu abordagem policial agressiva há cinco anos diante do hotel em Nova York em que estava hospedado. Blake estava na cidade para o US Open, estava de pé na frente do hotel e viu um homem correndo em sua direção. 'Pensei tratar-se de um fã, alguém que chegaria e diria 'Oi, te vi jogar, estava nesta partida, meu garoto joga tênis', recordou Blake.

Mas Blake tinha sido confundido com um suspeito de roubar um cartão de crédito. Um vídeo gravou o policial agarrando seu braço e o jogando na calçada, com o rosto no chão e o algemando. Tudo isso lhe veio na mente ao ver o vídeo da morte de Floyd, na semana passada.

''Fui para a cama muito triste, vendo aquilo girando na minha cabeça'', contou nesta terça-feira. ''Acordei no meio da noite e não pude parar de pensar no que aconteceu lá, e nos eventos que aconteceram comigo em 2015. Entristece-me ver que aquele tipo de abordagem ainda acontece, aquele tipo de brutalidade, especialmente com que frequência é dirigida à comunidade negra e parda.''

Blake, ex-aluno da Universidade de Harvard, atualmente é o diretor do Miami Open. Ele afirmou que o episódio de 2015 o transformou em um ''ativista acidental'', parodiando o nome de um conhecido filme. Ele começou a usar sua fama para falar mais abertamente sobre racismo e a brutalidade policial.

Blake apoia protestos pacíficos e disse que, possivelmente, sem os protestos que aconteceram nenhuma prisão teria sido feita. O ex-número 4 do mundo é favorável a uma reforma na polícia, com aumento de salário, melhor treinamento e investigação independente dos casos de desvio de conduta. O policial do caso de Blake foi punido com a diminuição de cinco dias de suas férias. 'Não acho que alguém assim deva ter um distintivo.'

A morte de Floyd ressaltou para Blake como ele teve sorte em seu incidente. Ele é grato por suas filhas, agora com 6 e 7 anos, não estarem com ele naquela ocasião. 'Eu não mostrei o vídeo onde fui derrubado porque não sei se compreenderiam'', explicou. ''Com o que tem estado no noticiário desde a semana passada, minha esposa e eu estamos começando a pensar sobre quando vamos começar a falar com elas sobre um monte de assuntos: brutalidade policial e racismo e o que acontece neste país.''

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva