Notícias | Dia a dia
Bartoli: 'Federer tem milhões e o 150º não sobrevive'
02/06/2020 às 10h11

Dubai (Emirados Árabes) - A paralisação do circuito por causa da pandemia do coronavírus deixou ainda mais evidente a má distribuição de valores no tênis mundial, com os primeiros do ranking recebendo muito e os jogadores de ranking mais baixo sofrendo para se manter no esporte. A francesa Marion Bartoli mais uma vez comentou sobre o assunto e criticou essa desigualdade.

Depois de atacar os duplistas e praticamente pedir o fim da modalidade, desta vez Bartoli foi mais comedida e apenas criticou a disparidade. “Federer é o esportista mais bem pago do mundo, ganha 100 milhões de dólares por ano. E depois temos o número 150 do ranking ATP que não consegue viver da modalidade”, levantou a francesa em entrevista para o Tennis Majors.

“Não estou dizendo que ele (Federer) deva ganhar menos, mas é triste ver as dificuldades pelas quais passam alguns tenistas”, complementou a campeã de Wimbledon em 2013, que recentemente anunciou a gravidez de seu primeiro filho.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva