Notícias | Dia a dia
Thiem: 'Não dá para vencer challenger e ter prejuízo'
27/05/2020 às 11h37

Thiem cobrou das entidades uma melhor distribuição de premiação para os tenistas

Foto: Fotojump

Viena (Áustria) - Um dos principais críticos da proposta de ajuda aos jogadores de menor ranking, feita pelo sérvio Novak Djokovic, o austríaco Dominic Thiem voltou a falar do assunto em entrevista ao Der Standard. O número 3 do mundo reforçou que a principal inimiga é a desigualdade financeira imposta pelo circuito, cuja responsabilidade é das entidades e não dos jogadores.

“Há muitas coisas que não estão certas no tênis hoje em dia. É claro que os melhores jogadores do mundo recebem muito bem, como acontece em muitas das outras modalidades, mas o problema está entre as posições 100 e 300 do ranking”, afirmou o austríaco.

“Esses jogadores são muito bons e não recebem o suficiente. Não é possível que um jogador ganhe um challenger, coisa que é muito difícil de fazer, e perca dinheiro porque tem de pagar a um treinador. Há muita coisa mal feita, mas esses problemas não devem ser resolvidos por mim, mas sim pelas entidades oficiais”, complementou Thiem.

O austríaco também defendeu que jogador algum tenha se beneficiado com a paralisação dos torneios. “Não é bom para ninguém. Eu estava em boa forma no início de ano e esta parada foi muito ruim para mim. Tsitsipas e Medvedev estavam em ascensão. Para Federer e Nadal talvez não seja tão grave pois têm tempo para regenerar os seus corpos e energias”, analisou o vice-campeão do Australian Open.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva