Notícias | Dia a dia
Bartoli dispara contra as duplas e defende seu fim
27/05/2020 às 10h54

Paris (França) - Em um momento em que a desigualdade no tênis tem sido bastante discutida, principalmente pelo fato de os jogadores de ranking mais baixo estarem sofrendo bastante com a paralisação do circuito, a francesa Marion Bartoli foi polêmica ao defender uma sugestão para diminuir a diferença de premiação dos torneios maiores para os menores.

Em conversa com o Tennis Majors, a campeã de Wimbledon em 2013 falou que poderiam extinguir as duplas no circuito e reverter o dinheiro usado na modalidade para pagar melhor os jogadores de simples. “Por que a ATP não para de investir nisso e usa esse dinheiro para aumentar os prêmios em dinheiro das primeiras rodadas nos challengers?”, questionou Bartoli

“Simplesmente não entendo. Em duplas o esforço é muito menor, você não treina tanto e vê semana após semana como os duplistas acumulam dinheiro. Não sei se devemos eliminá-los completamente, mas é claro que devemos reduzi-los e pegar grande parte do dinheiro ganho com esta modalidade”, acrescentou a francesa.

“Sei que não vou fazer inimigos com o que penso, mas não entendo por que duplas são disputadas ao longo do ano. Parece-me bom que haja competições no Grand Slam e nos Jogos Olímpicos, pois fazem parte da história do tênis, mas é incrível ver os orçamentos administrados pelas duplas, com equipes de até seis pessoas acompanhando os jogadores”, finalizou.

Mesmo com a reclamação de Bartoli, os duplistas já recebem muito menos do que os jogadores de simples. Para que se tenha uma noção, o sérvio Novak Djokovic faturou 4.120.000 dólares australianos com a conquista do Australian Open. Já a dupla campeã Rajeev Ram/Joe Salisbury dividiu uma premiação de 760 mil dólares australianos.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva