Notícias | Dia a dia
Berrettini avisa Djoko que não ajudará fundo
20/05/2020 às 08h56

Miami (EUA) - Um dos críticos abertos do fundo de ajuda proposto pelo sérvio Novak Djokovic, o italiano Matteo Berrettini revelou em entrevista à Reuters que conversou com o atual número 1 do mundo e explicou os motivos pelos quais não irá contribuir. Ele afirmou que esse tipo de auxílio não é de responsabilidade dos tenistas e sim das entidades que comandam o esporte.

“Refleti muito nos últimos dias sobre minhas prioridades, minha maneira de entender a vida e tudo o que implica a opção de ajudar financeiramente outros jogadores. A verdade é que não acredito que nenhum profissional de um esporte deva ajudar outro financeiramente. Essa responsabilidade recai sobre as instituições, no caso, ATP, WTA e ITF”, disse o italiano.

Veja mais: McEnroe acreditou em mim antes que eu mesmo, diz Berrettini

“São elas que possibilitam a realização de torneios. Contribuímos para o esporte com nossos desempenhos esportivos, cuja responsabilidade é cuidar de nós mesmos e não resolver um problema profundo e estrutural”, complementou Berrettini, que atualmente ocupa a oitava colocação no ranking mundial.

O italiano pontuou que o tênis precisa encontrar maneiras alternativas de ajudar esses jogadores. “Você precisa procurar fontes de financiamento que resolvam seus problemas durante a pandemia, mas também que viabilizem esse esporte depois. Não vou contribuir com meu dinheiro para isso, prefiro usá-lo para outras coisas”, afirmou o atleta de 24 anos.

“Liguei para Novak e expliquei minha posição, disse que tenho outras prioridades com meu dinheiro, que vou ajudar famílias necessitadas e comprar suprimentos médicos para organizações que precisam deles. Ele respeitou minha decisão, e falou que não deveria me preocupar porque a doação de dinheiro não era obrigatória”, encerrou Berrettini.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva