Notícias | Dia a dia
Ajuda da WTA pode chegar a US$ 10 mil por tenista
18/05/2020 às 17h04

Jogadoras precisam cumprir uma série de requisitos para ter direito ao valor máximo

Foto: Arquivo

Miami (EUA) - O portal canadense Open Court deu detalhes sobre como a WTA irá administrar os recursos do Fundo de Apoio às jogadoras. O valor máximo que uma tenista pode receber é de US$ 10,4 mil, dividido em duas parcelas, desde que a atleta cumpra todos os requisitos.

Têm direito a receber o auxílio as jogadoras que estão no top 500 do ranking de simples ou que apareçam até 175ª posição no ranking de duplas. Porém, ficam fora do programa de apoio aquelas que já receberam mais de US$ 350 mil em premiações nos últimos doze meses, ou mais que US$ 1,4 milhão nos últimos quatro anos, ou ainda as que têm mais de US$ 3,5 milhões em prêmios na carreira.

Para ter direito ao valor máximo de apoio, a jogadora precisa ter disputado pelo menos seis torneios da WTA nos últimos doze meses (contando até 16 de março, data da divulgação do último ranking), sendo que um desses torneios obrigatoriamente precisa ser um Grand Slam. Caso a jogadora não tenha atuado em seis torneios da WTA no último ano, ou ainda se ela não tiver disputado um Grand Slam, receberá a metade do valor.

O Fundo de Apoio aos jogadores pretende ajudar em torno de 800 tenistas dos circuitos profissionais masculino e feminino. Os recursos, administrados pela ATP e WTA, são estimados em US$ 6 milhões e vieram das duas entidades e também dos organizadores dos quatro torneios do Grand Slam.

Paralelamente, a Federação Internacional de Tênis (ITF) anunciou nesta segunda-feira que irá ajudar financeiramente os tenistas que apareçam entre as posições 501º e 700º dos respectivos rankings. A ITF pretende divulgar os termos do programa até o dia 2 de junho.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva