Notícias | Dia a dia
Muguruza fala com 11 juvenis e dá várias dicas
15/05/2020 às 17h56

Barcelona (Espanha) - Com grande sucesso e experiência no circuito, Garbiñe Muguruza foi convidada pela ITF para conversar com 11 juvenis de destaque no circuito. A jogadora de 26 anos e ex-número 1 do mundo aparece atualmente no 16º lugar do ranking, tem dois títulos de Grand Slam e foi finalista do Australian Open no início deste ano. Com essas credenciais, ela pôde dar várias dicas aos jovens tenistas.

"A vida de tenista, como a de qualquer atleta, é curta e você tem que aproveitar o máximo. Porque quanto você tem uns 35 anos, mais ou menos, você tem que parar de jogar. Então, são poucos anos", disse Muguruza.

"Depois, você tem toda a vida pela frente para recuperar tudo o que perdeu. Você tem que ser forte, tem que viajar e ficar longe dos pais e amigos, que você vê muito pouco durante o ano. Mas este é o meu sonho e vale a pena", acrescentou a vencedora de Roland Garros em 2016 e de Wimbledon em 2017.

Muguruza falou sobre como começou no tênis. "Eu nasci na Venezuela e comecei a jogar aos três anos. Tenho dois irmãos que são muito mais velhos que eu. E quando eu nasci, eles já jogavam tênis. Então eu queria ser como eles. E, aos 6 anos, eu mudei para Barcelona. Aqui na Espanha é um país com muito mais cultura tenística e temos bem mais academias. E descobri que eu tinha talento.

A espanhola também comentou sobre como foi seu processo de transição para o circuito profissional. "Quando eu tinha entre 16 e 18 anos, eu tinha como objetivo subir no ranking para poder competir nos torneios. Queria enfrentar as grandes jogadoras, e falava muito com a minha equipe para saber o que eu precisava fazer para conseguir isso. Estava às portas de começar uma vida. Então eu pensava: 'Se eu quero jogar tênis, o que eu preciso fazer? Em que eu preciso trabalhar?'. Era um projeto.

"Nunca fui uma jogadora que se destacou muito no circuito juvenil. Meu treinador não insistia tanto que eu jogasse os torneios juvenis. Na verdade, eu até gostaria de ter jogado. Mas rapidamente eu já comecei a jogar os torneios da ITF, de US$ 10 mil e US$ 15 mil. Então fiz um salto dos torneios nacionais para os torneios de US$ 10 mil sem passar pelo circuito juvenil", complementou a ex-líder do ranking.

Participaram do bate-papo, feito integralmente em língua espanhola, as jogadoras Victoria Jiménez Kasintseva (Andorra), Mell Reasco (Equador), Julia García Ruiz (México), Lauren Anzalotta (Porto Rico), Sofía Cabezas (Venezuela), Guillermina Grant (Uruguai), Dana Guzmán (Peru), Maria Camila Osorio Serrano (Colômbia), Marta Custic (Espanha), Solana Sierra (Argentina) e Leylah Fernández (Canadá).

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva