Notícias | Dia a dia
Federer doa US$ 1 milhão e ajuda 64 mil na África
06/05/2020 às 14h04

Projeto mantido pelo suíço atua em seis países do continente africano

Foto: Arquivo

Bottmingen (Suíça) - Bastante engajado em questões de interesse social, Roger Federer destinou parte dos recursos de sua fundação para minimizar um pouco do impacto financeiro causado pela pandemia da Covid-19 na África. O projeto social mantido pelo suíço destinou US$ 1 milhão pra o combate à fome no continente.

Estima-se que a ajuda financeira possa beneficiar 64 mil crianças e suas famílias, que estão em situação de vulnerabilidade. A iniciativa visa atender os alunos de escolas que ficaram fechadas por conta das restrições de distanciamento social, para conter o avanço do novo coronavírus.

"Agora, mais do que nunca, devemos nos unir para ajudar as famílias carentes", escreveu Federer, em seu perfil no Twitter. A entidade emitiu um breve comunicado. "A Covid-19 é uma crise global de saúde e econômica. Como resposta humanitária, a Fundação Roger Federer concedeu um milhão de dólares para fornecer refeições para 64 mil crianças e suas famílias por meio de nossos parceiros na África, enquanto as escolas estão fechadas".

A Roger Federer Foundation atua em projetos educacionais de seis países do continente africano: África do Sul, Zâmbia, Botsuana, Namíbia, Zimbábue e Maláui. Também são mantidas algumas iniciativas na Suíça, terra natal do tenista. Em 16 anos de projeto social, mais de 1,5 milhão de crianças de já foram beneficiadas.

Em fevereiro deste ano, Federer promoveu uma partida de exibição contra o rival Rafael Nadal na Cidade do Cabo, na África do Sul, e venceu o confronto por 6/4, 3/6 e 6/3. A partida foi vista de perto por 51.954 mil pessoas, maior público já registrado na modalidade. O estádio de futebol, utilizado na Copa do Mundo de 2010, tem capacidade para 55.000 torcedores.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva