Notícias | Dia a dia
Navratilova relembra o vice na Austrália em 1975
03/05/2020 às 10h15

Melbourne (Austrália) – O ano era 1975 e a tchecoslovaca Martina Navratilova chegou à final do Aberto da Austrália, que naquela época ainda era disputado em quadra de grama, perdendo o título para a estrela local Evonne Goolagong. No mesmo ano, também foi vice-campeã de Roland Garros, em final com a americana Chris Evert, que viria a ser sua grande amiga e parceira de duplas mais tarde. O primeiro encontro delas havia sido dois anos antes, em 1973, em Akron, no estado americano de Ohio. Depois disso, elas duelaram mais 79 vezes. O retrospecto desta rivalidade histórica é favorável a Navratilova, com 43 vitórias contra 37 de Evert. 

Na segunda quinzena do mês passado, Navratilova, 65 anos, naturalizada americana em 1986, relembrou aquela edição do Grand Slam australiano em conversa para o canal de vídeo da competição. Navratilova, ex-número 1 do mundo e dona de 18 títulos de Grand Slam em simples, contou que viajou 40 horas de Praga até a Austrália onde precisava ganhar dinheiro no torneio para comprar a passagem para os Estados Unidos, onde, aos 18 anos, pediu asilo político e obteve permissão de residência temporária. Esses dois troféus marcaram o início de uma carreira que a transformou em lenda do tênis.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva