Notícias | Outros
'Crowdfunding' revela luta dos professores pelo país
20/04/2020 às 18h35

São Paulo (SP) - A luta contra limitações físicas e emocionais não impedem que professores de tênis façam um trabalho digno e reconhecido em várias partes do Brasil. Três deles foram selecionados no grupo de apoio que o TenisBrasil Crowdfunding lançou, que visa arrecadar doações de pessoas físicas ou jurídicas para amenizar a crise dos profissionais liberais momento de isolamento social.

É impossível explicar a trajetória de vida de Ivanir sem citar o tênis. Aos 9 anos, o gaúcho foi boleirinho nas quadras do clube Sogipa, depois como juvenil realizou o sonho de jogar a Copa Gerdau.

Com o tempo, Ivanir se tornou professor de tênis, mas sempre que possível competia em torneios interclubes. Chegou a ser campeão em Curitiba ao lado do ex-profissional Antônio Prieto, uma lembrança que o gaúcho guarda com orgulho.

Sua vida passou por mudanças em 2017, quando caiu do telhado da quadra de tênis que alugava, resultando em fraturas, 10 dias na UTI e perda de um olho. Desde então, precisa ir para Curitiba, onde já fez três cirurgias de reconstrução facial.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

. . É impossível explicar a trajetória de vida de Ivanir sem citar o tênis. Aos 9 anos, o gaúcho foi boleirinho nas quadras do clube @sogipa, depois como juvenil realizou o sonho de jogar a Copa Gerdau. . . Com o tempo, Ivanir se tornou professor de tênis, mas sempre que possível competia em torneios interclubes. Certa vez, em Curitiba (2009), foi campeão ao lado do ex-tenista profissional Antônio Prieto (@prietoac). . . Sua vida passou por mudanças em 2017, quando caiu do telhado da quadra de tênis que alugava, resultando em fraturas, 10 dias na UTI e perda de um olho. Desde então, precisa ir para Curitiba, onde já fez 3 cirurgias de reconstrução facial. . . Vamos ajudar o Ivanir e outros 24 trabalhadores informais do tênis? Acesse benfeitoria.com/juntospelotenis . . #juntospelotenis #tennis #tenis

Uma publicação compartilhada por TenisBrasil Oficial 🎾 (@tenisbrasiloficial) em

Mais histórias
Marcio André Ferreira, de 44 anos, é outro que sofre com os problemas físicos sem desistir. Foi jogador de handebol, mas as contusões o impediram de seguir a carreira. Passou a dar aulas de tênis, um esporte que ele reconhece ser apaixonado há 20 anos e que o ajudou a superar quatro hérnias na coluna cervical, um problema que não lhe permitia sequer andar.

Sua rotina até um mês atrás, quando chegou a pandemia, era formada por aulas em dois condomínios e em uma academia de Taubaté. No momento, cursa Educação Física por meio de plataforma online. Marcio tem dois sonhos: criar um projeto social de iniciação infantil no tênis e ter o primeiro filho com a sua esposa, professora eventual na rede pública.

A vida do mineiro Walter Siqueira, 53 anos, é dedicada integralmente ao tênis há 30 anos, principalmente por meio das aulas que oferece no Teuto Esporte Clube. Há pouco mais de um mês, Walter teve o duríssimo baque de lidar com o falecimento de sua única filha. Em paralelo aos treinos privados, o professor atua com aulas em escolas estaduais, onde instaurou vários projetos de aulas de tênis. Chegou a permanecer na mesma instituição de ensino por 23 anos.

Para saber tudo sobre o TenisBrasil Crowdfunding e fazer sua doação, acesse benfeitoria.com/juntospelotenis.

Leia também:
Crowdfunding revela bons trabalhos sociais pelo país
Rebeca Pereira: Crowdfunding ajudará momento duro
Vídeo análise a preço especial no 'Crowfunding'. Bellucci recomenda.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva