Notícias | Dia a dia
Shapovalov credita Youzhny por melhora no mental
13/04/2020 às 16h26

Shapovalov começou a trabalhar com Youzhny em agosto do ano passado

Foto: Reprodução/Instagram

Nassau (Bahamas) - O canadense Denis Shapovalov vivia o melhor momento da carreira antes de o circuito profissional ser paralisado por conta da pandemia da Covid-19 e o do risco de transmissão do novo coronavírus. O jovem jogador de 20 anos ocupa atualmente o 16º lugar do ranking mundial e evoluiu muito desde que trouxe para equipe o ex-jogador russo Mikhail Youzhny.

"Ele me ajudou muito no lado mental do tênis e também fora de quadra. Graças a ele, eu consegui desenvolver algumas coisas que ajudaram muito no meu jogo", disse Shapovalov, em vídeo publicado no site da ATP. Ele e Youzhny começaram a trabalhar juntos em agosto do ano passado, durante o ATP 250 de Winston-Salem.

O jovem canadense terminou a última temporada conquistando seu primeiro título de ATP, em Estocolmo, e alcançando a final do Masters 1000 de Paris. Isso contrasta com um histórico negativo recente, já que ele havia perdido as sete primeiras semifinais de ATP que disputou antes de chegar à decisão na capital sueca e vencer o torneio.

"Senti que havia um peso nas minhas costas. Foram muitos torneios em que perdi nas semifinais. Superar essa barreira e, eventualmente, ganhar esse título foi enorme para mim", explicou o jogador de 20 anos. "O final da temporada foi realmente muito bom. Mas acho que esse bom momento começou antes mesmo de Estocolmo".

"Sinto que depois de Wimbledon, fiz longa boa pausa no circuito e só voltei a jogar em Montreal. Foi a minha primeira vez lá desde a semifinal de 2017, que foi quando eu despontei. Isso me deu muita motivação e me lembrou da paixão e da luta que tenho nos jogos", complementou o canadense.

Youzhny, ex-número 8 do mundo e vencedor de dez títulos de ATP, parou de jogar no fim de 2018. Hoje com 37 anos, o ex-jogador profissional russo falou sobre o processo de evolução do jovem canadense. "Ele faz tudo muito bem na quadra. Só precisa ter consistência, mas já é um ótimo jogador. Acho que ele tem um estilo de jogo interessante para o público. Ele pode fazer alguns pontos muito bonitos, e alguns pontos loucos, mas também pode ser extremamente sólido em alguns momentos. É um pouco diferente dos outros jogadores".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva