Notícias | Dia a dia
Técnico de Serena se revolta com a falta de apoio
09/04/2020 às 14h57

Paris (França) - Em meio à crise do coronavírus, o treinador francês Patrick Mouratoglou disparou contra as entidades que comandam o tênis. O técnico de Serena Williams escreveu uma carta aberta à comunidade de tênis expressando seu desgosto pela falta de apoio financeiro para os jogadores.

Para ele, enquanto os principais nomes do esporte são capazes de continuar vivendo confortavelmente durante a paralisação do circuito, a maioria não tem a mesma sorte. Por isso ele cobrou que os dirigentes façam alguma coisa pelos tenistas de menor ranking nesse momento tão delicado.

+ Mouratoglou: 'Gauff pode vencer um Slam logo'
+ Técnico garante que Serena ainda pode brilhar

“Acho revoltante que o 100º melhor jogador de um dos esportes mais populares do mundo - seguido por um bilhão estimado de fãs - mal consiga sobreviver apenas de seu esforço. Ao contrário dos jogadores de basquete ou futebol, os tenistas não são cobertos por salários anuais fixos e têm algo como contratos independentes”, escreveu Mouratoglou.

O francês ressaltou a importância de todos os níveis de jogadores para que o tênis sobreviva. “Embora tenhamos eliminado a supremacia masculina de longa data no campo financeiro, o tênis mantém um dos níveis mais extremos de desigualdade que qualquer outro esporte. O problema é que o tênis precisa deles para sobreviver. O tênis não pode viver só da elite”.

Além dos jogadores de menor ranking, muitos técnicos também têm passado aperto durante essa paralisação. O britânico Tom Hill, que treina a número 20 do mundo Maria Sakkari, falou sobre sua situação e explicou que a maioria dos técnicos recebe apenas pelas semanas que trabalham ao lado dos tenistas e que muitos sequer possuem contratos assinados.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva