Notícias | Dia a dia
Ferrer: 'Dificilmente teremos tênis ainda em 2020'
05/04/2020 às 09h26

Madri (Espanha) - Embora tenha encerrado a carreira como jogador profissional no ano passado, David Ferrer comentou a paralisação do circuito por conta da pandemia da Covid-19. O ex-número 3 do mundo acredita ser muito difícil que a temporada de 2020 seja retomada por conta do risco de transmissão do novo coronavírus.

"Acho difícil recomeçar a temporada ainda este ano. O tênis é um esporte global e, embora alguns países estejam se recuperando, as coisas pioram em outros. Vimos o que aconteceu na China, na Itália, conosco na Espanha e agora nos Estados Unidos", disse Ferrer em entrevista à Rádio Marca.

"Sinceramente, é muito complicado ter a situação 100% controlada ou determinar as medidas para que um torneio de tênis possa ser disputado normalmente. Além disso, quando tudo isso acabar, haverá um momento de adaptação. Nem tudo será como antes", acrescentou o vencedor de 27 torneios da ATP.

O agora ex-jogador profissional acredita que o modo de vida nas cidades será bastante afetado mesmo depois de a doença ser controlada. "Isso vai mudar nosso comportamento e nosso modo de vida, e acredito e espero que seja para melhor. Que tudo seja mais positivo, e que possamos não ser mais tão estressados. Às vezes sinto que mesmo em momentos como este, há conflitos sociais. Agora é a hora de apoiarmos uns aos outros".

Ferrer também falou sobre seu primeiro ano longe do circuito profissional e sobre como foi a comemoração de seu aniversário na última quinta-feira. "Foi um dia diferente porque estamos em casa, porque a situação em que vivemos é muito complicada", comenta o jogador de 38 anos. "Você sempre tem pessoas próximas que se infectaram e que perderam seus entes queridos. Mas você tem que ver o lado bom, e para mim é o fato de eu poder estar com minha família e de estarmos com saúde​​".

"No nível pessoal, este ano foi positivo, com a nomeação de diretor do Godó [o ATP 500 de Barcelona]. É uma pena que não tenhamos conseguido fazer o torneio neste ano, mas no final isso é o mínimo. Eu estarei lá em outro momento. O importante é sair dessa situação da melhor forma possível e salvar tantas vidas quanto possível".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva