Notícias | Dia a dia
Wimbledon é cancelado por conta do coronavírus
01/04/2020 às 12h08

Decisão de cancelar o Grand Slam londrino foi tomada nesta quarta-feira, durante reunião de emergência

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Confirmando a expectativa que já existia nas últimas semanas, a edição de 2020 de Wimbledon não será realizada. O mais tradicional torneio de tênis do mundo, que estava marcado para acontecer entre os dias 29 de junho de 12 de julho, foi mais uma competição esportiva cancelada por conta da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, em reunião de emergência no All England Lawn Tennis Club (AELTC). A edição de 2021 será entre 28 de junho e 11 de julho.

Os rumores sobre um possível cancelamento do torneio ganharam força na última quarta-feira, quando foi marcado encontro por vídeo-conferência com representantes de diversos órgãos diretivos do tênis, como a Federação Internacional (ITF), os circuitos masculino e feminino da ATP e WTA, além do Grand Slam Board e de federações nacionais. A situação ficou ainda mais clara na segunda-feira, depois que o presidente da Federação Alemã de Tênis, Dirk Hordoff, falou em entrevista ao jornal L’Equipe que competição seria cancelada e faltaria apenas o anúncio oficial.

Roland Garros já havia sido adiado

Wimbledon é o segundo Grand Slam afetado pela pandemia. Há duas semanas, a Federação Francesa de Tênis já havia determinado o adiamento de Roland Garros. O evento nas quadras de saibro de Paris foi remarcado para acontecer entre os dias 20 de setembro e 4 de outubro. A decisão foi criticada por entidades como a ATP, a WTA e a própria ITF, que acusaram os dirigentes franceses de atuarem de forma unilateral.

Os organizadores de Wimbledon até cogitavam um adiamento. Mas Richard Lewis, diretor executivo do AELTC, já havia ressaltado há uma semana que havia uma dificuldade maior de adiar o Grand Slam devido às características do piso. "Com base nos conselhos que recebemos das autoridades de saúde pública, há uma janela muito curta disponível para sediar o campeonato devido à natureza de nosso piso, o que sugere que o adiamento não deixa de ter dificuldades e riscos significativos", disse Lewis, por meio de nota oficial.

Uma reportagem do jornal britânico The Times da última terça-feira reforçava ainda mais a hipótese do cancelamento. Entre os pontos destacados na matéria está o fato de que realizar o torneio em outra época do ano significaria também uma menor exposição das quadras ao sol, o que compromete o andamento da programação diária -já que não há iluminação artificial nas quadras externas- e piora a qualidade do piso, aumentando o risco de lesões para os jogadores. Além disso, havia um argumento muito convincente para rechaçar a hipótese de realizar o torneio com portões fechados: Estima-se que mil pessoas circulariam pelo complexo durante o torneio mesmo sem a presença de público nas arquibancadas.

Torneio não era cancelado desde a Segunda Guerra

Realizado desde 1877, Wimbledon só foi cancelado durante as duas Guerras Mundiais no início do século passado. Não foram disputadas as competições entre 1915 e 1918, e também entre 1940 e 1945. No dia 11 de outubro de 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, a Quadra Central do Grand Slam britânico chegou a ser atingida por uma bomba.

Quadra Central de Wimbledon já foi bombardeada durante a Segunda Guerra
Quadra Central de Wimbledon já foi bombardeada durante a Segunda Guerra

Demais torneios na grama também devem ser cancelados

Com o cancelamento de Wimbledon, é muito provável que os demais torneios do circuito profissional em quadras de grama também sejam desmarcados. As competições encontram-se suspensas até o dia 7 de junho. Até então, o único torneio na grama que já havia sido cancelado era o challenger de Surbiton, em Londres, que começaria em 31 de maio.

Dois torneios na grama pela elite do circuito receberiam homens e mulheres, em s-Hertogenbosch (Holanda) e em Eastbourne (Inglaterra). O calendário da ATP ainda teria eventos em Stuttgart, Queen's, Halle e Mallorca. Já no circuito feminino da WTA, conta com os eventos Nottingham, Berlim, Birmingham e Bad Homburg.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva