Notícias | Dia a dia
Menezes destaca prejuízos e momento de união
24/03/2020 às 16h00

Menezes defendeu adiamento olímpico e diz que momento é pensarmos no próximo

Foto: Fotojump
Felipe Priante

Uberaba (MG) - Atual número 3 do Brasil e 185º do mundo no ranking da ATP, o mineiro João Menezes vinha crescendo gradualmente no circuito neste último ano, conquistando nesse período seu primeiro título de challenger e a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Lima. Ele também entrou pela primeira vez no top 200 e tentava continuar crescendo quando veio a paralisação por causa do surto de coronavírus.

De olho também na vaga olímpica, precisando apenas se manter no top 300 para se classificar, ele viu o comitê organizador dos Jogos de Tóquio adiar a competição para 2021 nesta terça-feira. “Acredito que eles tomaram a decisão correta”, afirmou Menezes em entrevista a TenisBrasil, na qual ele também fala sobre as dificuldades que um jogador fora do top 100 passa neste momento sem torneios.

“O prejuízo é grande para todos, desde grandes empresários até os trabalhadores assalariados. Temos que ser muito mais humanos neste momento e ajudar uns aos outros para que o sistema que conhecemos não entre em colapso”, avaliou o tenista de 23 anos, que tenta diminuir as perdas físicas por causa do isolamento dentro de casa, mas sabe que o retorno será duro para todos.

Veja a entrevista completa com João Menezes.

Você vinha crescendo gradualmente no circuito. Essa paralisação por causa do coronavírus atrapalha muito?

A paralisação atrapalha todo mundo, todos ficarão dentro de casa e sem treinar. Por mais que tentem se manter, perderão forma física. Esse é o momento de pensarmos no mundo, ajudar um ao outro e ficar em casa

Como está sua rotina de treinos sem circuito? E como se planejar se não se tem sequer calendário?

A rotina tornou-se muito monótona. Estou acostumado a viajar todas as semanas e desde meus 14 anos de idade que não fico no mesmo lugar tanto tempo. Tento fazer algo pra me manter em mínima forma física para quando puder voltar a treinar. Fora isso, tento apenas seguir positivo, ficar com minha família e rezar para o mundo.

Qual o tamanho do prejuízo de um tenista fora do top 100 com a paralisação?

O prejuízo é grande para todos, desde grandes empresários até os trabalhadores assalariados. Temos que ser muito mais humanos neste momento e ajudar uns aos outros para que o sistema que conhecemos não entre em colapso.

Com o congelamento do ranking você estaria garantido nas Olimpíadas, mas veio esse adiamento agora. Como tem acompanhado essa situação?

Acredito que eles tomaram a decisão correta. Vamos ver se eles vão postergar também o deadline de entrada. Mas o momento é de tomar precauções para não pegar o vírus. E agora, com o adiamento das olimpíadas, talvez eles exijam outros critérios para a classificação

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva