Notícias | Dia a dia
Canadá entra no boicote e Austrália pede adiamento
23/03/2020 às 09h19

Tóquio (Japão) - Cada vez mais vai se tornando insustentável a manutenção dos Jogos Olímpicos de Tóquio na data original. Com abertura ainda marcada para o dia 24 de julho, a organização do evento vê aumentar o número de nações que se opõe à realização do evento neste ano. Na noite de domingo veio o anúncio do boicote canadense e do pedido de adiamento dos australianos.

O comitê olímpico canadense foi firme e declarou que não mandará atletas para o torneio caso ele seja mesmo realizado entre o fim de julho e o começo de agosto desse ano. “Apelamos urgentemente ao Comitê Olímpico Internacional (COI), ao Comitê Paralímpico Internacional (IPC) e à Organização Mundial da Saúde (OMS) para adiar os Jogos por um ano”, disse o comunicado.

+ COI dá prazo para avaliar o adiamento dos Jogos
+ Brasil defende adiar os Jogos Olímpicos para 2021
+ Cresce pressão dos EUA para adiamento dos Jogos

Além disso, os canadenses destacaram a dificuldade de preparação para os Jogos com o surto de coronavírus e o risco que seria para a saúde reunir atletas e torcedores em um só lugar em meio à situação complicada pela qual o mundo está passando. Eles também se colocaram à disposição para ajudar na organização do adiamento para 2021.

Os australianos não foram tão enfáticos quando os canadenses, mas também se mostraram contrários à realização das Olimpíadas em 2020 e soltaram seu comunicado pedindo o adiamento das competições para 2021.

“O COA (Comitê Olímpico Australiano) diz que os atletas australianos devem se preparar para os Jogos Olímpicos de Tóquio no verão do norte de 2021, após o anúncio do COI de um adiamento potencial dos Jogos deste ano e mudanças no cenário da saúde pública na Austrália e em todo o mundo”, disse o comunicado.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva