Notícias | Dia a dia
RG não consultou Federer, mas informou seu agente
20/03/2020 às 12h59

Paris (França) - Depois de receber uma enxurrada de críticas por ter mudado a data de Roland Garros sem consultar os jogadores, o presidente da Federação Francesa de Tênis (FFT) Bernard Giudicelli se defendeu da decisão tomada pelo torneio em entrevista ao So Tennis, na qual ele garante ter consultado todas as principais entidades do tênis, entre elas ATP, WTA e ITF.

“Essa decisão que tomamos foi muito complicada e ao mesmo tempo corajosa, pois é uma situação que nunca havia acontecido. Nos últimos dias, assistimos na televisão o número de casos do novo coronavírus aumentando e tudo indicava que Roland Garros não seria realizado na data marcada. Ficou claro que não poderíamos deixar o mundo do tênis sem o nosso torneio”, explicou.

+ Canadense acusa RG de egoísmo e arrogância
+ Woodbridge: 'Federer deve jogar US Open e pular RG'
+ Laver Cup ignora mudança de RG e mantém sua data

O presidente da FFT disse ter procurado a quinzena mais tranquila possível no calendário para prejudicar ao mínimo os tenistas e por isso entrou em contato com as entidades responsáveis pelos circuitos. "Antes de tomar a decisão, nos reunimos com ATP, WTA e ITF. Tivemos várias propostas e finalmente decidimos jogar o torneio entre em 20 de setembro e 4 de outubro”, defendeu Giudicelli.

“Informamos todos os torneios de Grand Slam sobre nossa decisão. Pode haver alguns críticos da decisão que tomamos, mas não tenho dúvidas de que, quando chegar a hora, muitos ficarão felizes em ver Roland Garros contando com os melhores tenistas do mundo”, acrescentou o chefe da federação francesa.

Ele contou que não houve um contado direto com a USTA, mas garantiu que a entidade foi informada e que haverá discussões para que os dois torneios possam trabalhar juntos da melhor maneira possível. Giudicelli também se posicionou sobre a Laver Cup, que agora acontecerá junto com Roland Garros.

“Não conversamos diretamente com Roger Federer, mas informamos seu agente Tony Godsick sobre nossa decisão. Ao contrário de ATP, WTA ou ITF, com Godsick não consultamos nada, simplesmente demos a ele as informações por telefone do acordo que havíamos oficializado”, finalizou o presidente da FFT.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva