Notícias | Dia a dia
Henman: 'Esse intervalo pode ser bom para Murray'
16/03/2020 às 13h25

Londres (Inglaterra) - A paralisação por causa do surto de coronavírus pelo mundo pode ter prejudicado alguns jogadores que viviam bom momento, mas em contrapartida pode ajudar outros que vinham afastados. É o caso do britânico Andy Murray, que segue na luta para retornar mais uma vez. Em entrevista ao Glasgow Times, o compatriota Tim Henman vê a parada positiva para o ex-número 1.

"Acho que essa paralisação por seis semanas pode beneficiá-lo ainda mais. Estive com Andy no início da semana em Londres e o vi treinar. Ele está realmente batendo bem na bola e está melhorando fisicamente com o passar dos dias. Como está ausente há tanto tempo sem jogar, parar por mais algumas semanas não importa tanto para ele”, afirmou Henman.

Só que o britânico também destaca a dificuldade que Andy terá para retomar a condição que o levou a liderar o ranking e a conquistar três Grand Salm e dois ouros olímpicos. “Embora tenha voltado a jogar após uma lesão grave, Murray não consegue mostrar seu melhor tênis há mais de dois anos e meio. Espero poder vê-lo novamente nesse nível, mas será difícil”, analisou.

“Quando um tenista passa muito tempo fora das quadras devido a lesão, fica muito difícil voltar ao seu melhor nível. Vimos casos como Federer ou Nadal, mas também muitos outros. Atualmente, Andy tem 32 anos, o tempo está passando lentamente e estamos vendo alguns jovens tenistas despontando. Parece que é difícil vê-lo novamente nas primeiras posições”, complementou.

Henman também falou sobre a dificuldade que é para os tenistas encarar uma situação tão atípica. "É preciso entender que essa situação é para o bem de todos. É muito triste ver como isso afetou torneios, jogadores, patrocinadores e fãs, mas devemos fazer esse pequeno esforço para que o número de infectados seja o mínimo possível no mundo”, finalizou o britânico.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis