Notícias | Dia a dia
'Maioria dos jogadores queria parar', afirma Fritz
13/03/2020 às 15h39

Miami (EUA) - Depois de um cancelamento de última hora em Indian Wells, a definição da paralisação do circuito da ATP não pegou os tenistas de surpresa. Segundo explicou o norte-americano Taylor Fritz em entrevista ao Tennis Channel, a decisão foi tomada em conjunto com o Conselho de Jogadores, que antes consultou os atletas para saber a opinião da maioria.

“Fomos atualizados por um enorme grupo que temos no Whatsapp, com praticamente todos os jogadores. O pessoal do conselho explicou qual era a ideia deles e perguntaram nossa opinião sobre o assunto. Alguns defendiam que deveríamos jogar a portas fechadas, mas a maioria pediu para parar”, contou o tenista de 22 anos.

“Muitos explicaram que viajar para certos locais era perigoso, mesmo sem fãs. Se um jogador ficasse doente seria forçado a parar e poderia contaminar os outros. Nós somos todos saudáveis e não estamos no grupo de risco, mas temos contato com outras pessoas que podem correr risco. O circuito não seria igual”, acrescentou Fritz.

Atual 24 do mundo, o norte-americano falou o porquê de o sérvio Novak Djokovic ter deixado os Estados Unidos mesmo antes de qualquer definição sobre o Masters 1000 de Miami. "Novak foi embora antes porque já tinha decidido que ele não iria jogar, mesmo antes da suspensão por seis semanas. Foi uma decisão pessoal”.

Perguntado sobre o que fará para ocupar o tempo neste período sem circuito, Fritz disse ainda não saber bem o que fazer. “Você nunca tem seis semanas sem jogar tênis. Acho que vou tirar uns dias de folga, talvez não chegue a uma semana inteira. Não gosto de ficar muito tempo sem fazer nada e já devo voltar a treinar. Vai ser mais longo do que uma pré-temporada”, declarou o norte-americano.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva