Notícias | Dia a dia
Murray espera ver mais mulheres treinadoras
10/03/2020 às 15h28

Murray já teve uma mulher como treinadora quando trabalhou ao lado de Mauresmo

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - O ex-número 1 do mundo Andy Murray espera poder ver cada vez mais mulheres ocupando a função de treinadora, não só no tênis como no esporte de um modo geral. Bicampeão olímpico em 2012 e 2016, Murray escreveu um artigo para o Comitê Olímpico Internacional e expôs sua posição. Ele lembra que nos Jogos do Rio, há quatro anos, apenas 11% dos treinadores em todos os esportes eram mulheres.

"Os melhores treinadores devem ser as melhores pessoas e, nos Jogos Olímpicos, não há como as mulheres representarem apenas 11% desses melhores treinadores. Claramente é preciso fazer um trabalho nesse aspecto", escreveu Murray.

"Quando se trata de mentalidade, habilidades e inteligência, não há razão para que uma mulher não seja tão boa quanto um homem, e esperamos que as coisas mudem quando as mulheres tiverem mais oportunidades", afirmou o britânico de 32 anos.

Murray relatou sua própria experiência. Ele foi treinado pela francesa Amelie Mauresmo, também ex-líder do ranking, entre 2014 e 2016. O britânico se recorda das duras críticas que ele e sua treinadora recebiam na época.

"Eu percebi que havia um problema quando vi reação à nomeação de Amelie como minha treinadora, mesmo de pessoas próximas a mim", afirmou o vencedor de três títulos de Grand Slam. "A razão pela qual ela era questionada era puramente baseada no fato de ela ser mulher, e não foi por causa de sua capacidade ou do que ela havia feito em sua carreira".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva