Notícias | Dia a dia
'Estou evoluindo a cada dia', garante Clijsters
04/03/2020 às 14h43

Clijsters disputou sua segunda partida desde que voltou às quadras

Foto: Divulgação

Monterrey (México) - Embora ainda não tenha vencido em sua volta às quadras, Kim Clijsters sente que está evoluindo a cada dia. A ex-número1 do mundo disputou apenas dois torneios desde que retomou sua carreira profissional, mas perdeu para Garbiñe Muguruza em Dubai e para Johanna Konta em Monterrey. Clijsters está com 36 anos e não jogava profissionalmente desde o US Open de 2012, voltando ao circuito há apenas duas semanas.

"Senti que algumas coisas estavam melhores", disse Clijsters após a derrota por 6/3 e 7/5 para Konta na última terça-feira. "Algumas coisas ainda precisam melhorar bastante. É por isso que é bom disputar cada vez mais partidas e ter ritmo de jogo".

"Em Dubai, não comecei bem porque estava sobrecarregada dos treinos, mas hoje comecei sacando muito melhor do que lá. Essa é uma das coisas positivas", acrescenta a belga, que disparou nove aces no duelo contra a britânica em Monterrey.

Clijsters tem quatro títulos de Grand Slam, sendo que o primeiro foi conquistado ainda em 2005, e falou sobre a experiência de enfrentar adversárias inéditas em sua carreira. "Passei por gerações diferentes do circuito e enfrentei muitas jogadoras ao longo de toda a minha carreira. Ainda estou em um estágio em que quero me concentrar no que estou fazendo e em como estou me sentindo, além de começar a estudar as minhas adversárias".

"É um processo no qual tenho que continuar trabalhando duro para melhorar. Gostaria de dar grandes passos, mas primeiro eu preciso me concentrar nos pequenos passos e melhorar a cada dia", complementou a ex-líder do ranking, que agora segue para Indian Wells.

Algoz de Clijsters em Monterrey, Konta está com 28 anos e ocupa o 16º lugar do ranking. "Nunca imaginei que poderia enfrentar a Kim Clijsters em minha carreira. Sinto-me verdadeiramente privilegiada e honrada por dividir a quadra com uma campeã como ela. É bom tê-la de volta", afirmou a britânica. "Foi um jogo muito difícil. Ela é uma atleta incrível e é capaz de fazer muitas coisas com a bola. É por isso que ela conseguiu jogar nesse nível em sua segunda partida depois de sete anos. Estou muito feliz com a minha performance", completou Konta, que agora enfrenta a alemã Tatjana Maria.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva