Notícias | Dia a dia
Sharapova nega volta e avalia maternidade
01/03/2020 às 16h37
É muito complicado comparar a idade de quando as tenistas se retiram. Cada uma tem um estilo de vida diferente. Vemos algumas abandonarem com menos de 30 anos e outras seguirem jogando aos 35. Cada um, com sua família e com sua equipe, decide a hora de parar. A minha foi agora.
Maria Sharapova, em entrevista ao New York Times sobre a decisão de parar com o tênis
Serena (Williams) é um exemplo. Pode seguir porque ainda se mostra competitiva nos grandes torneios e estou certa que ainda ganhará mais um Grand Slam.
Elogiando a maior rival.
Sempre disse que adoraria ter filhos, mas nunca o faria enquanto estivesse no circuito. Sei que existem tenistas que foram mães e sabem alternar muito bem as duas vidas, mas eu não saberia fazê-lo. É preciso treinar muitas horas, viajar constantemente e isso me faria perder muitas coisas de sua infância. Agora que decidi parar, tenho tempo para pensar nisso.
Questionada sobre a ideia de ser mãe.
Quando tinha seis anos, meu pai e eu viajamos para a Flórida para tentar tornar realidade o sonho de ser tenista. Minha mãe não pôde nos acompanhar por problemas de visto e perdi muitas coisas sem minha mãe. Esta é a razão pela qual decidi não ser mãe enquanto estivesse nas quadras, porque é complicado crescer sem a mãe a seu lado. Agora que tenho meus pais a meu lado, nunca me separo deles.
Sobre a ida para a academia de Nick Bollettieri.
A (suspensão por doping) foi uma situação muito complicada que consegui superar de forma muito humilde. Foi um dos momentos mais difíceis de minha vida. Apesar de tudo, decidi não me rebaixar, reconhecer meu erros e lutar para voltar da melhor maneira possível, simplesmente por amor ao tênis. Estou orgulhosa de ter voltado e dado meu máximo, ainda que os resultados dos últimos anos não tenham sido tão bons.
Sobre o afastamento por uso de meldonium, que lhe custou 18 meses de suspensão.
Tem se falado muito sobre a volta de Kim Clijsters depois de tantos anos afastada, mas eu posso dizer com segurança que não voltarei mais a jogar tênis. É uma etapa encerrada. É possível que continue ligada ao esporte, mas de outras forma. Como tenista, não.
Negando chance de uma volta no futuro.
Comentários
Loja - livros
Suzana Silva