Notícias | Dia a dia
Djokovic só quer seguir vencendo. Sem parar.
29/02/2020 às 18h40

Novak Djokovic vence o ATP 500 de Dubai pela quinta vez na carreira e a primeira desde 2015

Foto: ATP

Dubai (Emirados Árabes) - Imbatível em todas as 18 partidas da temporada e em 21 se contabilizada a Copa Davis do ano passado, o sérvio Novak Djokovic não quer fazer previsões do tamanho que possa alcançar sua invencibilidade. Ele só sabe de uma coisa: quer seguir vencendo e vencendo.

"Estou agradecido por estar jogando tão bem, me sentindo tão bem", afirmou o pentacampeão de Dubai. "Ganhei uma série de partidas e quero continuar a sequência. Mas é muito cedo para falar sobre o quão longe ela poderá ser, fazer cálculos. Tentarei não fazer previsões. Devo me focar no que é preciso fazer a cada dia para jogar o melhor possível cada partida. Essa é a meta".

A maior série invicta de sua carreira foram as 43 vitórias entre 2010 e 2011, seguidas pelas 28 que obteve duas vezes, em 2015 e pouco antes entre 2013 e 2014. Se vencer mais três partidas em Indian Wells, seu próximo compromisso, ele marcará a quarta mais longa sequência.

"Estou tentando aproveitar o momento e apreciar a posição em que me encontro", afirmou. "Este é um dos melhores inícios de temporada de minha carreira, me sinto muito bem em quadra. Tenho jogado um grande tênis sobre as quadras duras, que é minha superfície predileta". Djokovic conquistou a ATP Cup pela Sérvia em janeiro, em final diante de Rafael Nadal, e em seguida ergueu seu oitavo troféu no Australian Open.

A vitória sobre Tsitsipas
Apesar de ter perdido um game de serviço na reta final do segundo set, Djokovic saiu muito satisfeito de sua exibição diante do grego Stefanos Tsitsipas, que entrou em quadra com duas vitórias nos quatro duelos então realizados entre eles.

"Depois que consegui a quebra no primeiro set, senti que mentalmente havia obtido uma vantagem", avaliou sobre a final deste sábado, a quinta que vence em seis realizadas em Dubai. "Você pode pressentir que atingiu o momento, e eu não queria perder isso".

Na sua avaliação, Tsitsipas não mostrou a mesma força dos jogos feitos em Dubai. "Estava uma quebra à frente no segundo set, e ele se recuperou imediatamente. Eu me sentia confortável lá no fundo de quadra com ele. Pareceu que ele havia perdido um pouco da intensidade das outras partidas".

Grego desapontado
Pelo segundo ano seguido, Tsitsipas perdeu a final de Dubai para um Big 3, repetindo o que aconteceu diante de Roger Federer em 2019. O campeão de Marselha há uma semana não escondeu seu desapontamento: "É decepcionante tentar tanto e não obter o resultado final que você esperava", argumentou. "Mas ele se doou mais que eu na partida, mereceu o título".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis