Notícias | Dia a dia
Djoko domina Tsitsipas e chega ao 3º troféu do ano
29/02/2020 às 13h29

Dubai (Emirados Árabes) - Mais um grande título, mais uma aula de eficiência, variação e precisão do sérvio Novak Djokovic. O número 1 do mundo superou games duros no começo da partida para superar com sobras o grego Stefanos Tsitsipas na decisão do ATP 500 de Dubai. O placar diz tudo: 6/3 e 6/4 em 1h25.

Invicto em todas as 18 partidas da temporada, o sérvio ergue o terceiro importante troféu, como fez na ATP Cup e no Australian Open. O líder do ranking ganhou nada menos que 43 dos 49 sets que disputou desde janeiro.

Djokovic atinge o quinto título em 11 aparições em Dubai, repetindo as campanhas de 2009, 2010, 2011 e 2013. Ele ainda foi vice em 2015. No geral, o sérvio chega a 79 troféus na carreira em 113 decisões disputadas.

Tsitsipas por sua vez fica com o vice em Dubai pelo segundo ano consecutivo. Ele vinha da conquista em Marselha e agora volta a ter recorde negativo em finais, com cinco títulos e seis vices.

Jogo consistente de Djokovic
Na segunda decisão entre eles - Djokovic levou a melhor também em Madri de maio -, o primeiro set foi intensamente disputado no começo, com games longos. Tsitsipas claramente optava por paralelas, principalmente de forehand, e tentava se manter agressivo. Foi assim que chegou a ter um break-point, que o sérvio salvou com coragem.

Bastou no entanto a queda mínima de intensidade para o grego encarar as temidas devoluções de Djokovic, que manteve profundidade e sacramentou a quebra e o primeiro set. Curiosamente, Nole fez apenas quatro winners diante de 11 e o primeiro saque foi até menos eficiente (63% de acerto e 73% de pontos vencidos, enquanto o grego acertou 68% e ganhou 87). Mas a diferença ficou no trabalho com o segundo saque, em que o grego venceu apenas 14% dos lances.

A situação parecia cômoda para o sérvio quando ele outra vez induziu o adversário aos erros com bolas muito perto da linha, tendo saque com 3/2. Tsitsipas então surpreendeu. Soltou-se, mesclou paciência com agressividade e virou para 4/3. Mas durou pouco. Sem aproveitar o primeiro saque, grego ficou à mercê da consistência muito superior de Djokovic, que abriu 5/4 e fechou sem sustos.

Djokovic fez menos winners (12 a 17), porém também errou menos (10 a 18). O segundo set viu uma evolução clara do serviço, com 64% de acerto mas 86% desses lances vencidos.

O campeão embolsou mais US$ 565 mil, cabendo US$ 284 ao vice.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis