Notícias | Dia a dia
Kvitova enfim vence Barty e pega Sabalenka na final
28/02/2020 às 15h24

Kvitova havia perdido os últimos quatro duelos que fez contra a australiana

Foto: Divulgação

Doha (Qatar) - Depois de ter perdido os quatro últimos encontros, Petra Kvitova enfim voltou a vencer Ashleigh Barty no circuito e garantiu vaga na final do WTA Premier 5 de Doha. Número 11 do mundo, a tcheca superou a atual líder do ranking com parciais de 6/4, 2/6 e 6/4 em 1h51 de partida nesta sexta-feira.

Kvitova agora lidera o histórico de confrontos contra Barty por 5 a 4. Dos nove jogos entre elas, apenas dois foram disputados antes de 2019. Elas se enfrentaram cinco vezes no ano passado, com três vitórias da australiana e mais duas da tcheca, e mais duas na atual temporada. Antes do duelo em Doha, Barty havia vencido nas quartas de final do Australian Open.

Experiente jogadora de 29 anos, Kvitova marcou sua sexta vitória contra uma número 1 do mundo. Curiosamente, a última havia acontecido também em uma semifinal em Doha, diante da dinamarquesa Caroline Wozniacki em 2018. Naquele ano, a canhota tcheca conquistaria o título do torneio, superando Garbiñe Muguruza na final.

Para voltar a superar Barty no circuito, Kvitova apostou em devoluções profundas e no corpo, tirando o tempo da australiana e impedindo que a rival efetivamente disputasse os pontos. A tcheca quebrou logo nos dois primeiros games de saque da rival no set inicial. Barty tentou variar mais as direções do saque, tirando um pouco o peso da bola e conseguiu equilibrar o jogo. Mas no terceiro set, Kvitova voltou a encontrar um bom ritmo para as devoluções e retomou o domínio da partida.

Sabalenka vence duelo de gerações na semi
A adversária de Kvitova na final marcada para o meio-dia (de Brasília) será a jovem bielorrussa de 21 anos Aryna Sabalenka, 13ª do ranking. A vaga de Sabalenka na decisão veio com uma vitória por 6/4 e 6/3 sobre a russa Svetlana Kuznetsova. veterana de 34 anos e 46ª do ranking.

Agressiva desde o princípio, Sabalenka criou break points em cinco games distintos e conseguiu quatro quebras de serviço. A bielorrussa venceu praticamente a metade dos pontos jogados no saque da adversária, 28 em 57 possíveis. Depois de ter vencido o primeiro set, ela abriu 3/0 na parcial seguinte e sustentou a vantagem.

Kvitova lidera o histórico de confrontos contra Sabalenka por 2 a 1. A canhota tcheca já disputou 36 finais no circuito e acumula 27 títulos. Por sua vez, a bielorrussa está em sua nona final e busca a sexta conquista no circuito. Enquanto Kvitova tem títulos mais expressivos, como o bicampeonato de Wimbledon e o WTA Finals de 2011, Sabalenka tem títulos do mesmo porte de Doha conquistados em Wuhan em 2018 e 2019. A bielorrussa também venceu o WTA Elite Trophy em Zhuhai no fim do ano passado. 

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva