Notícias | Dia a dia
Físico sobra e Djokovic mantém tabu com Monfils
28/02/2020 às 14h46

Dubai (Emirados Árabes) - Mais uma vez não deu para o francês Gael Monfils contra o sérvio Novak Djokovic. Assim como aconteceu em todas outras 16 vezes que eles se cruzaram na ATP, o atual número 1 do mundo foi superior e anotou sua 17ª vitória seguida sobre o rival, buscando uma virada depois de salvar três match-points no segundo set, fechando o jogo com placar final 2/6, 7/6 e 6/1.

Na final do ATP 500 de Dubai neste sábado, o sérvio medirá forças com o grego Stefanos Tsitsipas, que mais cedo deixou pelo caminho o britânico Daniel Evans em sets diretos. Além de valer o título do torneio, o confronto também servirá de tira-teima entre os dois, uma vez que nos quatro embates anteriores cada um levou a melhor em dois, com desvantagem de Djokovic no piso duro (1 a 2).

Com a vitória desta sexta, Djokovic iguala o segundo melhor começo de temporada da carreira, empatando com os 17 triunfos consecutivos no início de 2013. Porém, para bater o próprio recorde ele vai precisar continuar ganhando por muito tempo, uma vez que em 2011 venceu as 41 partidas do ano.

O sérvio esteve irreconhecível em quadra e abusou dos erros no primeiro set, desperdiçando 17 bolas em erros não forçados contra 7 de Monfils, que apenas pela quinta vez em 16 encontros conseguiu sair na frente de Djokovic. Ele anotou a primeira quebra do jogo no terceiro game e repetiu a dose no sétimo.

Mais firme no segundo set, Djokovic apostou no físico e na consistência para buscar a virada. Porém, ele foi o primeiro a levar uma quebra, vendo Monfils abrir 3/1. Só que o sérvio conseguiu devolver o break no sexto e deixou tudo igual. Cada vez mais cansado, o francês sofreu no decorrer a parcial e precisou salvar dois set-points com o saque no décimo game e mais três no 12º.

A definição foi para o tiebreak, em que os sacadores sofreram para confirmar e os mini-breaks vieram em profusão. Monfils abriu 6-3 e perdeu os três match-points seguidos que teve, dois deles com os serviços. Mais tarde vieram três set-points para Djokovic, que se aproveitou de uma dupla falta do francês no último deles para empatar a partida.

Foi então questão de tempo para que o número 1 do mundo deslanchasse rumo à virada. A primeira quebra do terceiro e decisivo set não demorou a pintar, veio no terceiro game e foi acompanhada de mais uma no quinto. Monfils sentiu lesão no joelho, pediu atendimento e confortável vantagem de Djokovic aumentou com novo break para fechar o jogo e assim ampliar sua freguesia para cima do francês, que não vence o rival desde um duelo em um future italiano em 2004.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva