Notícias | Dia a dia
Melo: 'Não conseguimos imprimir o mesmo ritmo'
23/02/2020 às 15h36

Melo e Kubot caíram nas semifinais do Rio Open e agora seguem para a disputa do ATP 500 de Acapulco

Foto: Fotojump
Rio de Janeiro (RJ) - Dupla cabeça de chave número 2, o mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot não conseguiram passar das semifinais do Rio Open e acabaram caindo neste domingo diante dos italianos Salvatore Caruso e Federico Gaio, com parciais de 6/3, 3/6 e 10-4. Eles lamentaram um pouco as condições de jogo da quadra, que por estar mais lenta acabou favorecendo os rivais. 
 
"Não conseguimos imprimir o mesmo ritmo dos outros dois jogos, como tudo estava bem mais lento eles conseguiram trabalhar melhor os pontos, dificultar a nossa vida. Faltou um pouco mais de nossa parte de impor nosso jogo, sermos mais agressivos e menos conservadores. São dois jogadores que jogam bem de fundo e nosso básico é o jogo de rede”, comentou Melo. 
 
O mineiro não atribuiu a derrota à toda espera que tiveram por causa da chuva. "Independente das condições temos que estar preparados, somos profissionais. Em Wimbledon eu já entrei e saí de quadra 10 vezes em três dias, isso não pode ser desculpa prá gente. Precisamos estar preparados independente de qualquer coisa, porque a gente só faz isso”, analisou. 
 
Na próxima semanas eles disputarão o ATP 500 de Acapulco e esperam um bom resultado na competição. “Teremos pouco tempo de adaptação, mas como eu disse, somos profissionais e precisamos estar preparados para isso, logicamente vamos pedir para jogar mais tarde um pouco. Daqui do Rio Open vamos tirar as coisas positivas dos dois primeiros jogos e aprender com as negativas”, finalizou o duplista mineiro. 
 
Kubot ainda terminou a entrevista coletiva roubando a cena. Primeiro ele foi questionado pelo próprio parceiro a falar um pouco sobre o jogo. Em seguida, ele esbanjou simpatia ao falar sobre suas pretensões olímpicas. “Ainda preciso ver se eu e Hubert Hurkacz nos classificamos e o objetivo é depois tentar ganhar o primeiro jogo. E os favoritos serão os brasileiros, porque Bruno adora sushi e Melo tem muitos fãs lá”, brincou o polonês. 

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva