Notícias | Dia a dia
Monteiro: 'Dei pontos de graça e botei ele no jogo'
20/02/2020 às 07h30

Monteiro teve um começo de jogo promissor, mas não manteve o ritmo e levou a virada

Foto: Fotojump
Felipe Priante

Rio de Janeiro (RJ) - A amarga derrota de virada em simples do cearense Thiago Monteiro na segunda rodada do Rio Open, diante do húngaro Attila Balazs, de 31 anos e atual 106 do mundo, deixou o número 1 do Brasil um pouco chateado com seu desempenho, principalmente depois de um começo de partida arrasador, fazendo 6/1 no primeiro set.

“Tive um início muito bom de jogo, meu adversário não encontrava tantas oportunidades; no segundo set comecei o primeiro game bem e desfoquei um pouco, dei uns pontos de graça e ele passou a sacar melhor. Botei ele no jogo e não aproveitei minhas chances no jogo após o primeiro set”, lamentou o canhoto de Fortaleza.

“Vinha jogando nota 9 ou 10 e depois passei a joga nota zero. É complicado nesse nível dar tantos pontos para um cara que não estava bem. Os grandes jogadores não têm uma sequência tão ruim, jogam mal um ou dois pontos e já retomam o foco”, comentou Monteiro, que pelo menos conseguiu salvar o dia com a vitória mais tarde na dupla.

Apesar do resultado negativo em simples, ele minimizou um pouco a derrota e se mostrou otimista pelo futuro. “Não posso ficar remoendo tanto, a oportunidade passou, mas sinto que venho jogando bem. Ontem estava falando que estava tudo bem e hoje não posso descer do céu ao inferno depois de apenas um jogo”, comentou Montero.

Principal nome do país no confronto com a Austrália na Copa Davis, o cearense também falou sobre essa posição de ser o mais experiente da equipe. “É um time novo, com o Meligeni, o Thiago e o João, está passando por uma renovação. Vou tentar passar essa experiência para eles, apesar de não ser tão velho assim. Será um confronto difícil contra a Austrália fora de casa. Quem sabe jogando assim sem pressão não podemos tentar aproveitar a oportunidade”, finalizou.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis