Notícias | Dia a dia
Coria comemora duas vezes e faz campanha inédita
20/02/2020 às 01h05

Coria está cada vez mais próximo de entrar pela primeira vez no top 100 da ATP

Foto: Fotojump

Rio de Janeiro (RJ) - O argentino Federico Coria teve um fim de jogo dramático com o jovem espanhol Carlos Alcaraz e comemorou duas vezes a vitória sobre o rival de 16 anos, depois de um desafio fazer voltar o primeiro match-point. Contudo, o irmão do vice-campeão de Roland Garros em 2004 conseguiu segurar a emoção e fechou o jogo com parciais de 6/4, 4/6 e 6/4, indo pela primeira vez às quartas de um ATP 500.

Uma bola fora de Alcaraz havia dado a vitória ao argentino, só que o espanhol de 16 anos pediu desafio e a marcação eletrônica deu dentro. Depois de ter já comemorado o triunfo, Coria teve que jogar de novo o ponto e perdeu o primeiro match-point, com 40-15, mas no segundo acabou fechando.

“Estava muito nervoso e se ficasse 40-40 ia ser duro, pois já tinha me emocionado e não sabia mais como jogar. Ele tirou uma deixadinha, consegui chegar e então torci para que ele jogasse a próxima fora”, contou o argentino, ainda inconformado com a marcação eletrônica.

“O árbitro viu ela fora, Carlos viu ela fora, eu vi ela fora e mesmo assim teve a marcação, então seguramente foi boa”, brincou o tenista de 27 anos, que contou a conversa que teve com o juiz em quadra. “Ele disse que viu fora, mas explicou que não podia fazer nada. Carlos também falou que achou fora e que só pediu por via das dúvidas”, pontuou Coria.

Beirando o top 100, indo provisoriamente para o 103º lugar, o argentino comemorou bastante a ida às quartas de final do Rio Open. “Significa tudo, porque estou perto do top 100. Meu sonho é poder entrar em Roland Garros. O que está acontecendo agora é algo que não imaginava depois de todas as dificuldades que tive”, falou Coria, que agora terá pela frente o chileno Christian Garin.

"Nos challengers do ano passado comecei a ir bem e assim a me manter no circuito, contratei um treinador para poder viajar comigo no circuito. Lamentavelmente ser tenista é apenas para quem é top 100, os demais não conseguem viver deste esporte. Mas a ATP está trabalhando para que os demais possam ao menos não perder dinheiro com esse esporte”, finalizou.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva