Notícias | Dia a dia
Thiem chega ao Rio de olho no número 3 de Federer
15/02/2020 às 15h42

Thiem poderá ultrapassar Federer no ranking com boa campanha nesta semana no Rio Open

Foto: Fotojump
Felipe Priante

Rio de Janeiro (RJ) - Principal estrela do Rio Open, o austríaco Dominic Thiem chega para a disputa do ATP 500 carioca de olho na terceira colocação do ranking, que atualmente pertence a Roger Federer. Contudo, a distância entre o suíço e ele é de apenas 85 pontos e pode ser superada dependendo da campanha do atual número 4 do mundo nesta semana.

“É sempre legal atingir seu melhor ranking da carreira e estou bem perto disso. Se jogar bem aqui eu posso alcançar (o número 3). Isso será uma meta para mim nas próximas semanas”, declarou o atual vice-campeão do Australian Open, que além de buscar melhorar cada vez mais o ranking quer também conquistar seu primeiro título de Slam.

“Sempre há pequenos passos para quebrar e vencer um Grand Slam pela primeira vez . No Autralian Open venci Rafa pela primeira vez neste tipo de torneio. Isso faz você perceber que é uma coisa possível. (Andy) Murray perdeu suas quatro primeiras finais de Slam e eu já perdi três, mas depois ele se tornou campeão”, disse o austríaco.

Ausente no ATP 250 de Buenos Aires, por causa do desgaste em Melbourne, Thiem garantiu não ter sido problema vir à América do Sul para disputar apenas um torneio. “Jogar no Rio foi uma decisão fácil, pois é uma superfície que gosto muito e na qual me sinto em casa”, explicou o austríaco.

Thiem também destacou as mudanças feitas em sua equipe um ano atrás, entre elas colocando o chileno Nicolas Massú de treinador. “Acho que a experiência te deixa mais confortável. Também mudei meu time mais ou menos nessa mesma época no ano passado e foi uma grande mudança, porque vinha com esse time a minha vida toda. Foi decisão certa e assim pude dar passos à frente”, avaliou.

“Ele me ajudou muito a elevar o nível, principalmente m quadras duras. Fez eu ser mais agressivo e ir mais para a rede, sendo um pouco mais imprevisível. Melhorei muito nesses aspectos desde que ele começou a trabalhar comigo”, complementou o campeão do Rio Open de 2017.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis