Notícias | Dia a dia
Federer: 'É bom ser amigo de um grande rival'
06/02/2020 às 08h55

Cidade do Cabo (África do Sul) - Às vésperas do tão aguardado duelo com o espanhol Rafael Nadal, que promete bater o recorde de público para uma partida de tênis, o suíço Roger Federer falou com a imprensa sul-africana e contou um pouco sobre os bastidores do evento. Ele também destacou a importância da amizade que tem com o canhoto de Mallorca e celebrou poder trazê-lo para jogar no continente.

“Sempre me perguntava: onde? com quem? e qual o tamanho deveria ter o evento? A ideia inicial era fazer algo para que eu pudesse pelo menos jogar na África do Sul, para que o povo daqui e a família que ainda tenho aqui pudessem me ver. À medida que tomava forma, estávamos tentando tornar o evento cada vez maior”, comentou o suíço atual número 3 do mundo.

“Houve um momento em que percebi que algo muito especial poderia acontecer aqui e Rafa era o único que realmente podia fazer esse evento. Tenho o vínculo com Rafa e, se alguém pode trazê-lo para a África do Sul, sou eu. Propus e ele aceitou imediatamente. Procuramos incansavelmente por uma data nos últimos dois anos e finalmente conseguimos”, acrescentou Federer, que tem mãe nascida na África do Sul.

O suíço explicou o porquê de não ter marcado antes este confronto em solo africano com Nadal. “Ele queria ter feito isso antes, estávamos ambos prontos, mas nossos respectivos calendários estavam muito ocupados”, observou o tenista da Basileia.

A amizade entre Federer e Nadal facilitou a vinda do espanhol e a relação entre eles foi um ponto comemorado pelo suíço. “É muito bom chamar um de seus maiores rivais também de amigo. Ele não é meu melhor amigo e não sou o melhor amigo dele, mas nos entendemos muito bem. Gostamos de nos ver, de conversar e garantir que o tênis esteja se movendo na direção certa”, finalizou.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva