Notícias | Dia a dia | Australian Open
Djokovic é octa após cinco sets e vence o 17º Slam
02/02/2020 às 09h46

Sérvio diminui a diferença para Federer e Nadal na corrida pelo recorde de títulos de Grand Slam

Foto: Arquivo

Melbourne (Austrália) - Maior vencedor do Australian Open em todos os tempos, Novak Djokovic voltou a triunfar em Melbourne e conquistou seu oitavo título na competição e o 17º troféu de Grand Slam de sua vitoriosa carreira. O sérvio encarou uma batalha de cinco sets diante do austríaco Dominic Thiem e venceu por 6/4, 4/6, 2/6, 6/3 e 6/4 em exatas 4h00 de partida.

Djokovic diminui a diferença para seus dois principais rivais na corrida pelo recorde de conquistas em Grand Slam. Roger Federer tem 20 títulos, enquanto Rafael Nadal acumula 19 troféus. Além disso, o sérvio amplia a vantagem no recorde de títulos na Austrália. Atrás dele, ficam Federer e também Roy Emerson, ambos com seis conquistas.

Outra consequência direta do título em Melbourne é a volta de Djokovic à liderança do ranking. Ele acumula 275 semanas como número 1 do mundo. Em parte, ele foi ajudado pelo próprio Thiem, que eliminou Rafael Nadal nas quartas de final. Se o espanhol fosse semifinalista, não poderia ser alcançado pelo sérvio no ranking que será divulgado na segunda-feira. O sérvio defende os 2 mil pontos conquistados em 2019, enquanto Nadal havia sido vice-campeão no ano passado.

Este é também o 78º título de Djokovic na elite do circuito profissional. Com isso, ele ultrapassa John McEnroe e se torna o quinto jogador com maior número de títulos em torneios da ATP. As próximas metas para o sérvio são igualar as 84 conquistas de Rafael Nadal (ainda em atividade) e as 95 de Ivan Lendl. Jimmy Connors, com 109, e Roger Federer, com 103, são os recordistas.

Últimos confrontos favoreciam o austríaco
Ainda que Djokovic continue liderando o histórico de confrontos contra Thiem, agora por 7 a 4, o sérvio interrompe um período de domínio do rival. O austríaco vinha de duas vitórias seguidas no ano passado, em Roland Garros e no ATP Finals, e também havia vencido quatro dos últimos cinco duelos disputados antes da final em Melbourne.

Thiem perde a terceira final de Grand Slam que disputou. Ele ficou com o vice-campeonato em Roland Garros nos últimos dois anos, sempre perdendo para Rafael Nadal. Ainda assim, o austríaco de 26 anos irá igualar o melhor ranking da carreira, com os 1.200 pontos conquistados, e assume o quarto lugar. Ele tentava se tornar o primeiro jogador nascido nos anos 90 a vencer um Grand Slam e apenas o segundo austríaco a ganhar um torneio deste tamanho.

O prêmio em dinheiro para o campeão do Australian Open é de AUD 4,12 milhões, o equivalente a US$ 2,78 milhões. Já o vice-campeão recebe AUD 2,06 milhões, o que vale US$ 1,34 milhão. Mais experiente, Djokovic já ganhou US$ 140 milhões em premiações de torneios, enquanto Thiem acumulou cerca de US$ 22 milhões.

Djokovic começou em ritmo arrasador
O início de partida foi muito bom para Djokovic, que abriu vantagem cedo. O sérvio colocou Thiem sob pressão logo no primeiro game de serviço do austríaco, que durou sete minutos e terminou com um erro não-forçados do rival. Depois de começar o jogo perdendo por 3/0, Thiem finalmente acalmou seus nervos e venceu seu primeiro game. O austríaco vinha com mais dificuldades para confirmar o serviço, sempre enfrentando games muito longos, enquanto o sérvio perdeu só três pontos no saque até liderar por 4/1.

No sétimo game, Thiem enfim conseguiu uma quebra. Djokovic havia feito dois erros seguidos no início do game e depois tentou ser um pouco mais cauteloso, dando margem para que o austríaco assumisse o controle dos pontos. A parcial seguiria equilibrada até que o sérvio levasse a melhor em um game com altos e baixos dos dois tenistas e conseguisse uma nova quebra de serviço após uma dupla-falta de Thiem. A parcial teve muitos erros não-forçados, 16 para o austríaco e 14 do sérvio. Thiem também liderava nos winners por 12 a 9.

Thiem manteve a calma nos momentos decisivos
Depois de ter enfrentado muitos games longos no saque durante o primeiro set, Thiem passou a confirmar o serviço com maior tranquilidade no início da parcial seguinte. A situação ficou ainda melhor para o austríaco com uma quebra de serviço logo no terceiro game, após duas duplas-faltas do rival. Quando já vencia por 3/2, Thiem precisou salvar um break point antes de confirmar o saque. Mas a pressão exercida por Djokovic nas devoluções era constante e o sérvio buscou o empate no oitavo game.

Com o placar empatado por 4/4 e momento da partida favorável a Djokovic, um game de saque longo acabou mudando novamente a dinâmica da partida. Ele recebeu duas advertências por estourar o tempo de 25 segundos para o sacar e teve que trabalhar com o segundo serviço justamente quando enfrentava um break point. Depois de sofrer a quebra de serviço, ele discutiu com o árbitro Damien Dumusois e o ironizou, dizendo que o oficial estava "fazendo um ótimo trabalho" e "ficaria famoso". Thiem sacou bem no game seguinte e empatou a partida.

Austríaco passa à frente e sérvio sinaliza desgaste
O terceiro set começou com alguns games longos, mas era sempre Thiem quem se dava melhor. Além de ter escapado de um break point logo em seu primeiro game serviço da parcial, o austríaco conseguiu duas quebras seguidas e abriu 4/0. Só então, Djokovic conseguiu manter o saque e vencer seu primeiro game desde a discussão com o árbitro de cadeira.

Em uma das viradas de lado, o sérvio recebeu a visita médica, mas não solicitou o tempo de três minutos para o atendimento. Quando Thiem sacou para fechar, precisou evitar uma chance de quebra e só definiu a parcial no quarto set point que teve. No intervalo entre os sets, Djokovic foi para o vestiário, mas voltou rapidamente à quadra, indicando que não havia precisado do tempo médico. A parcial terminou com 13 erros não-forçados do sérvio contra sete do austríaco. Djokovic havia feito um winner a mais, 12 a 11.

Sérvio evita quebra no quarto set e ruma para a virada
Logo no início do quarto set, Djokovic salvou um break point que poderia ter sido decisivo para a partida. O sérvio venceu uma disputa na rede com ótimo voleio e conseguiu manter o saque. Depois disso, não enfrentaria mais break points, cedendo apenas mais um ponto em seus games de serviço até o fim da parcial. A quebra decisiva aconteceria no oitavo game, em que Thiem fez dois erros e uma dupla-falta. Djokovic fez 13 a 10 em winners na parcial e cometeu apenas cinco erros, dois a menos que seu adversário. 

Djokovic continuou sacando muito bem no quinto set e, novamente, conseguiu uma quebra logo no começo. Thiem teve duas chances de buscar o empate, mas o sérvio fechou a porta até mesmo quando dependia do segundo serviço. Sacando para o jogo, Djokovic começou sendo um pouco mais conservador, tentando esperar pelo erro do adversário, e perdeu o primeiro ponto, mas a estratégia se mostrava acertada com duas bolas para fora do austríaco. No match point, precisou do segundo saque, mas conseguiu definir a vitória. 

Thiem liderou a contagem de winners da partida por 55 a 46 e os dois jogadores cometeram 57 erros não-forçados. O aproveitamento nos break points também foi idêntico, cinco quebras em doze oportunidades para cada um. No total de pontos, ligeira vantagem para o sérvio, por 157 a 147.

Comentários