Notícias | Dia a dia | Australian Open
Barty lamenta chance perdida, mas valoriza algoz
30/01/2020 às 06h23

Barty levou a sobrinha Olivia para a sala de entrevistas após a partida desta quinta-feira

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Surpreendida na semifinal do Australian Open, Ashleigh Barty teve adiado o sonho da conquista de um Grand Slam em casa. A número 1 do mundo lamentou as oportunidades perdidas na derrota por 7/6 (8-6) e 7/5 para a norte-americana Sofia Kenin, 15ª colocada. Barty teve set points nas duas parciais, chegando a sacar para fechar o segundo set, mas fez questão de valorizar o jogo de sua algoz.

"Sim, é decepcionante. Eu me coloquei em posição de vencer a partida hoje, mas simplesmente não joguei bem o suficiente nos pontos mais importantes para conseguir vencer", disse Barty após a derrota sofrida na semifinal desta quinta-feira em Melbourne. "Tenho que dar crédito onde é devido. Sofia jogou agressivamente nesses pontos e mereceu vencer".

A eliminação de Barty amplia o jejum de títulos do tênis australiano em Melbourne. Uma atleta da casa não chega até a decisão há 40 anos, sendo a última a alcançar esse feito Wendy Turnbull, que ficou com o vice em 1980. A mais recente campeã da casa foi Chris O'Neil, que bateu a norte-americana Betsy Nagelsen na final de 1978. A líder do ranking diz que sua preparação para os grandes torneios não muda apesar da pressão e do favoritismo.

"Independentemente de eu ser a número 1, a número 50 ou a número 100 do mundo, eu me preparo a cada dia da mesma forma", explica a atual campeã de Roland Garros. "Nada mudou realmente para mim ou minha equipe. Estamos trabalhando todos os dias para melhorar como pessoas, e para que eu possa evoluir como jogadora de tênis. Acontece que alcançamos a primeira posição ao lado do nome na chave".

Barty teve um bom começo de temporada. Ela chegou a Melbourne vinda de título no Premier de Adelaide e espera ter uma boa sequência no ano. "Eu aprendi muito no último mês. Aprendi com todas as experiências em que fui colocada. Eu amei cada minuto. Não vou esperar um ano para colocar tudo isso em prática. Farei isso já próxima semana, quando eu acordar e for para a quadra", insistiu a líder do ranking. "Sinto como uma equipe que crescemos. Nós aproveitamos cada minuto. Mal posso esperar para continuar a temporada".

Durante sua entrevista coletiva nesta quinta-feira, Barty carregava no colo a sobrinha Olivia e diz que ficar ao lado da bebê recém-nascida fez o seu dia melhor. "Esta é a minha mais nova sobrinha. Minha irmã a teve há 11, 12 semanas", apresentou. "Tudo é uma questão de perspectiva. A vida é uma coisa linda. Ela [Olivia] trouxe um sorriso para o meu rosto assim que saí da quadra. Eu tinha que dar um abraço nela. É tudo de bom".

Comentários