Notícias | Dia a dia | Australian Open
Zverev oscila e vence em 3 sets, Thiem precisa de 5
23/01/2020 às 04h26

Melbourne (Austrália) - Dois dos principais favoritos na parte de cima da chave masculina do Australian Open estiveram em ação nesta quinta-feira. O austríaco Dominic Thiem e o alemão Alexander Zverev entraram em quadra buscando um lugar na terceira rodada da competição e ambos acabaram conseguindo, só que com caminhos bem diferentes.

Quinto mais bem cotado, Thiem teve um começo promissor diante do convidado da casa Alex Bolt, mas depois acabou se enrolando e precisou jogar cinco sets para avançar. O austríaco ficou 3h22 em quadra para derrubar o australiano de 27 anos e atual 140 do mundo com o placar final de 6/2, 5/7, 6/7 (5-7), 6/1 e 6/2.

Mesmo com os 31 erros não forçados do austríaco, não foi ele quem mais errou e sim Bolt, que somou quase o dobro de Thiem (60). O australiano também levou a pior nas bolas vencedoras, acertando 52 contra 56 do rival, que perdeu o saque duas vezes e conseguiu sete quebras a seu favor.  

A segunda partida de Zverev no Melbourne Park foi bem mais tranquila que a de Thiem, embora o alemão também tenha dado sua oscilada. Contudo, ela não foi o suficiente para sequer fazê-lo perder um set contra o bielorrusso Egor Gerasimov, que foi superado com parciais de 7/6 (7-5), 6/4 e 7/5, depois de 2h19 de partida.

Zverev foi muito bem com o saque, disparou nove aces, não cometeu uma dupla falta sequer e colocou 78% dos primeiros serviços em quadra. Ele venceu 82% dos pontos em que colocou a bola em jogo e ainda assim sofreu uma quebra, conseguindo três para si. O alemão ainda teve mais winners (39 a 25) e menos erros não forçados (25 a 40).

Na próxima rodada, o germânico cabeça de chave número 7 terá pela frente o vencedor do duelo entre o experiente espanhol Fernando Verdasco e o georgiano Nikoloz Basilashvili, 26º pré-classificado. Thiem também ainda não sabe quem enfrentará no próximo jogo e aguarda ou o norte-americano Taylor Fritz, 29º favorito, ou o sul-africano Kevin Anderson.

Comentários